29/08/2014 às 14h15min - Atualizada em 29/08/2014 às 14h15min

Rádio Muriaé entrevista casal vítima de racismo

Rádio Muriaé

Na manhã desta quinta-feira, 28/8, a Rádio Muriaé entrevistou o Delegado Eduardo de Freitas, da 31ª AISP 150, na Gávea, e, também, o jovem casal vítima de racismo em uma rede social.

Em conversa com o repórter Gilson Junior, o delegado informou que a Polícia Civil instaurou inquérito na quarta-feira (27) para apurar o caso de injúria racial envolvendo a jovem negra de 20 anos e o namorado de 18 anos, branco. “Ontem a vitima veio até a delegacia e forneceu mais detalhes sobre o caso”. 

Segundo Eduardo, consta nas primeiras investigações que os ofensores estão em outros estados - principalmente em são Paulo. “Como pensávamos não são pessoas aqui da cidade, nós já temos acesso ao perfil deles no Facebook e vamos dar início às averiguações. Se verificarmos que eles realmente são de outros estados serão enviadas cartas precatórias para Belo Horizonte e, de lá, as intimações serão repassadas para os delegados das respectivas cidades de onde os suspeitos são”.

Em conversa com a jovem, ela relatou que após a postagem recebeu muitas mensagens de apoio dos amigos e familiares. “Esse apoio foi muito importante e agradeço a todos pelas mensagens de carinho e respeito. Elas realmente nos ajudaram muito”.

A jovem ainda relatou que depois da repercussão do caso, algumas pessoas chegaram a procurá-la para pedirem desculpa. “Eu desculpo essas pessoas, mas quero que a justiça seja feita, ela precisa ser feita”, frisou.

O namorado ressaltou que essa foi a primeira vez, durante os quase dois anos de namoro, que eles foram vitimas de racismo. “Duas ou três pessoas pediram desculpa, e eu as desculpo, pra que guardar raiva da situação? Espero que tudo dê certo nas investigações, que essas pessoas sejam identificadas e desejo que esse caso sirva de exemplo para outras pessoas que passam pela mesma situação também tenham coragem de denunciar”.

Finalizando a entrevista concedida ao repórter Gilson Junior, os dois frisaram que esse episódio não mudou em nada o relacionamento. “Isso não abalou em nada nosso relacionamento. Agradecemos a todos pela força e apoio. Não é fácil, mas não ligamos muito pra esse tipo de coisa, pois é besteira, o que importa mesmo somos nós dois”, frisou o jovem.

Entenda o caso:

O casal foi vítima de ações preconceituosas após postarem uma foto no Facebook. Os comentários agressivos foram feitos pelos usuários da rede social e diziam "Onde comprou essa escrava?". Outros são direcionados à jovem, como "Seu dono?" e "eu acho que vc roubou o branco pra tirar foto".

Após a repercussão do caso, o perfil da jovem foi retirado do ar, mas a foto já havia sido compartilhada diversas vezes. Num desses compartilhamentos, o usuário chamado “Pretinho do Poder”, disse: “Que ridículo esses comentários. Cadê a justiça nesse #Brasil? Bando de Racistas”. Quase 150 mil pessoas curtiram a postagem, que já foi compartilhada mais de 19 mil vezes.

Punição

Pela lei, tanto a prática de racismo (ofensa contra grupos), quanto a de injúria racial (contra um indivíduo) são consideradas crime. As penas podem variar de um a cinco anos de reclusão.

Fonte : Rádio Muriaé


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »