08/04/2020 às 16h51min - Atualizada em 08/04/2020 às 16h51min

Ubá enfrenta, novamente, a maior enchente de sua história

Pela terceira vez em 2020, Ubá sofreu, na noite desta terça-feira (07) com o extravasamento do Ribeirão Ubá de sua calha. A cheia provocou inundação em vários pontos da cidade.
 
Segundo a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, choveu na área urbana cerca de 128mm em duas horas. A contribuição da chuva nas cabeceiras do Ribeirão Ubá também foi predominante para a rápida elevação do nível do rio.
 
Após a criação do Sistema de Comando de Operações, ainda durante a chuva, equipes envolvidas nas ações de resposta reuniram-se novamente na manhã desta quarta-feira (08) para levantamento dos estragos, balanço das primeiras ações e planejamento das atividades prioritárias para as próximas horas.

Um Decreto de Situação de Emergência em razão do evento será publicado ainda hoje no Diário Oficial do Município.


 
IMPORTANTE: As duas estações de tratamento de água que abastecem a cidade foram afetadas. Orienta-se a população que economize água.
 
Levantamento preliminar realizado até o momento aponta que pelo menos 60 mil pessoas foram afetadas pelo evento. Pelo menos 432 pessoas estão desalojadas.
 
O distrito de Miragaia está sem acesso, devido à queda de uma ponte de concreto. Equipes já atuam na obtenção de matéria prima para o reparo emergencial.
 
O acesso ao distrito de Ubari é possível pela estrada das Sete Voltas (Divinésia).
A passarela provisória do bairro Fazendinha foi levada pela força das águas. A estrada de acesso ao bairro é a alternativa de passagem.
 
Diversos problemas já decorrentes das enchentes anteriores foram agravados, como danos em cabeceiras de pontes e erosões. Novas vistorias estão sendo feitas. Orienta-se a população que não se aproxime das áreas mais afetadas.
 
Equipes de limpeza, das Secretarias de Ambiente e Obras, atuam desde as primeiras horas do dia. Apoio de outros municípios também já chegou. Todas as equipes empenhadas nas ações de limpeza receberam máscaras e recursos de higiene.
 
Equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social estão empenhadas no levantamento do número de famílias afetadas, e realizam visita às áreas mais críticas para distribuição de ajuda humanitária, com kits de limpeza e cestas básicas.
 

A Prefeitura conta com a mobilização e solidariedade da comunidade para a doações dos seguintes itens: água mineral, alimentos não perecíveis, materiais de limpeza, botas de plástico (a partir do nº 37), rodos, vassouras, luvas , baldes e pano de chão. O Ponto de Coleta será no Fórum Cultural, situado na Praça São Januário, de 7h às 17h.
 
ATENÇÃO: As medidas preventivas contra a COVID-19 devem permanecer. Evitem aglomerações, façam a higiene das mãos, deixem os ambientes ventilados. SE PUDER, FIQUE EM CASA.
 
Pelo menos dois imóveis desabaram em consequência das chuvas de 07/04: no bairro Waldemar de Castro, e na rua Rio Grande do Sul (bairro Triângulo). Ninguém ficou ferido.
 
Total de 17 chamados foram recebidos pelo Corpo de Bombeiros em razão das chuvas, a maior parte relacionados a pessoas ilhadas em veículos, residências e estabelecimentos.
 
Serviços da Prefeitura também foram afetados pelas chuvas, como a Policlínica Regional e a Casa do Empreendedor.
 
A Prefeitura atua também no apoio ao Asilo São Vicente de Paulo, com o emprego de equipes de limpeza, doação de colchões e outros itens necessários.
 
Dentre os locais afetados pelas chuvas até o momento, estão: Centro, Waldemar de Castro, Solar de Ubá, Santa Edwiges, Travessa Perim, Paulino Fernandes, Triângulo, entre outros, além de diversas comunidades rurais.
 
Um representante da Defesa Civil Estadual está na cidade, acompanhando as ações, monitorando as áreas afetadas e levantando a demanda por ajuda humanitária.
 
 
Assessoria de Comunicação
Prefeitura de Ubá
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »