23/04/2020 às 09h19min - Atualizada em 23/04/2020 às 09h19min

Óbito por coronavírus em Cataguases é o quarto da Zona da Mata

Enquanto anuncia morte, novo decreto libera funcionamento de parte do comércio no município, com horário restrito e normas sanitárias

Marcos Alfredo/Estado de Minas
Novo decreto libera funcionamento de parte do comércio local (foto Divulgação Prefeitura de Cataguases)
Cataguases confirmou o registro do quarto caso de morte por coronavírus (COVID-19) na Zona da Mata. O óbito foi divulgado no boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, publicado nessa terça-feira (21).
 
O óbito ocorreu em 10 de abril e refere-se a um homem de 84 anos que apresentava comorbidade.Além disso, de acordo com a prefeitura, hoje a cidade tem dois casos suspeitos de coronavírus e dois confirmados. 
 
Novo Decreto

Em razão da pandemia da COVID-19, desde a última quinta-feira (16), a Prefeitura de Cataguases colocou em vigor o novo Decreto Nº 5.202D/2020, que estabelece novas medidas para o enfrentamento da emergência de saúde pública.
 
Uma das deciões foi restringir o acesso ao município até dia 4 de maio. A proibição vale também para carros de transporte particular de passageiros, ainda que sejam emplacados na cidade.
 
No caso de morador que estava fora e deseja retornar, deve preencher um termo de compromisso e cumprir período de sete dias de isolamento social. Caso apresente sintomas da COVID-19, o prazo sobe para 14 dias.
 
O texto também recomenda o uso de máscaras pela população ao sair de casa e proíbe a permanência de pessoas em praças, academias ao ar livre e espaços públicos.
 
Comércio

Desde 1º de abril, a cidade estava com todo o comércio fechado após a publicação do Decreto Nº 5.202C/2020. Porém, somente estabelecimentos comerciais com sistema de delivery, entrega em domicílio, estavam autorizados o funcionamento.
 
Já o novo decreto autoriza a abertura de parte do comércio local, das 8h às 12h, com atendimento na porta, evitando aglomeração.
 
Dentre os setores com permissão de funcionamento estão: chaveiro e ótica, com atendimento de uma pessoa por vez no estabelecimento; lava-jatos, através de prévio agendamento, não sendo permitida aglomeração;
profissionais liberais ou pessoa jurídica com estabelecimento fixo que prestem serviços nas residências dos clientes, devendo esse fazer uso de equipamentos de proteção individual – EPIs, principalmente máscara e álcool 70%; profissionais de fisioterapia, com atendimento de forma individual, com uso de EPIs, principalmente máscara e álcool 70%, e prestadores de serviços de fotocópia e impressão de documentos.
 
Contudo, os estabelecimentos com permissão de retorno das atividades estão obrigados a fornecer máscaras aos funcionários e produtos para desinfecção.
 
O decreto proíbe também velório – caso o óbito tenha suspeita ou caso confirmado de contaminação pelo coronavírus.
 
A administração prorrogou o recesso escolar da rede pública municipal até o dia 4 de maio.

 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »