23/05/2020 às 10h06min - Atualizada em 23/05/2020 às 17h41min

Aprovado novo Mestrado Profissional em Automação e Sistemas do CEFET-MG no Campus Leopoldina

Programa integra as áreas de Engenharia Elétrica e é o terceiro na modalidade profissional que chega ao interior do Estado

Campus do Cefet Leopoldina-MG (Foto-João Gabriel Baia Meneghite)
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulgou há pouco a aprovação do projeto de Mestrado Profissional em Automação e Sistemas do CEFET-MG em Leopoldina.

Submetida em agosto de 2019, sob a coordenação do professor José Geraldo Ribeiro Júnior, do Departamento de Computação e Mecânica, a proposta do novo curso pretende atender três objetivos: consolidar a verticalização do ensino no campus Leopoldina, integrando os cursos técnicos em Informática, Eletrotécnica, Eletromecânica e Mecânica, as Engenharias de Computação e Controle e Automação e a pós lato sensu em Internet das Coisas ao Mestrado em Automação e Sistemas; atender demandas e propor soluções reais para empresas e órgãos parceiros na Zona da Mata mineira; além de reter capital intelectual para o desenvolvimento regional, pontua o professor.

O projeto do curso prevê ingresso anual de 20 pesquisadores, sendo dez para cada uma das linhas de pesquisa: Internet das Coisas e Controle, Instrumentação e Sistemas Inteligentes*. Integrando as áreas de Engenharia Elétrica e Computação em um projeto interdisciplinar, o mestrado pretende atrair, dentre outros, engenheiros do setor energético, mínero-metalúrgico, agrícola, industrial, etc; profissionais que atuam na prestação de serviços a indústrias; e graduandos em Ciências Exatas de modo geral.

Qualidade do curso

Diferentemente da criação de novos cursos técnicos e de graduação, em que as instituições de ensino têm mais autonomia, para entrar em funcionamento um mestrado ou doutorado há um processo “avaliativo restritivo e difícil pelas Capes”, explica o Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação do CEFET-MG, professor Conrado Rodrigues.

Fatores como capacitação do corpo docente e qualidade da produção científica dos pesquisadores que vão integrar um novo curso Stricto Sensu são determinantes para a aprovação. “Com esse resultado, percebemos que o grupo envolvido na elaboração da proposta consegue comprovar que desenvolve pesquisa de nível, pois a aprovação não se dá exclusivamente pela vontade nossa da Instituição e dos grupos de pesquisa, é muito fruto também da experiência e de atuação consistente em pesquisa que já vem sendo feita muito antes do mestrado existir”, completa Conrado.

Interdisciplinaridade

Uma característica marcante incorporada à Pós-Graduação do CEFET-MG nos novos projetos de curso é a da interdisciplinaridade. No caso do novo curso aprovado em Leopoldina, “é uma convergência de duas competências, a automação, mais afeita à engenharia elétrica, e sistemas, mais afeita a computação”, descreve Conrado.

Além de congregar conhecimentos, um mestrado profissional como esse pode gerar grandes ganhos, ao “abordar problemas muito novos e que podem resultar em ganhos muito importantes para o setor industrial, especialmente na Zona da Mata, onde o campus está localizado”, explica.

A propósito, empresas e instituições parceiras do CEFET-MG na região também foram determinantes para a abertura do curso ao enviarem cartas de apoio, entre elas Zollern, Sol e Neve, Aramil, Mouragro, Energisa, EMBRAPA, EPAMIG, Cooperativa Leste, Sindicato rural, Acil e Siemens, destaca o coordenador do projeto, professor José Geraldo.

Interiorização

O Mestrado em Automação e Sistemas em Leopoldina é o terceiro mestrado profissional aprovado para o interior do Estado. Antes dele, vieram o de Engenharia de Minas (Araxá) e o de Educação Profissional e Tecnológica em rede nacional (Divinópolis).

*Linhas de pesquisa

Internet das Coisas – Busca o desenvolvimento de ferramentas para automação de processos e análise de grandes volumes de dados, obtidos por meio de sensores. Ainda, o projeto e desenvolvimento de aplicações e serviços IoT de acordo com as demandas da indústria (especialmente nas áreas de energia e agricultura). Em termos de comunicação, nessa linha serão pesquisadas os recursos e limitações de protocolos e sensores, baseados em problemas reais de acordo com a demanda de mercado. Finalmente, a linha abordará as ameaças de segurança a sistemas informatizados e as respectivas técnicas para mitigar essas ameaças.

Controle, Instrumentação e Sistemas inteligentes – Objetiva o estudo e desenvolvimento das áreas de agricultura e energia. Neste contexto, estão contempladas as redes inteligentes (smartgridsmicrogrid), aplicações em agricultura de precisão, controle de processos, otimização e aplicações diversas em inteligência computacional.

Fonte:  Secretaria de Comunicação Social/CEFET-MG
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »