16/06/2020 às 10h20min - Atualizada em 16/06/2020 às 10h20min

Posto do Hemominas em Leopoldina recebe doação de sangue nesta quinta, 18 de junho

São retirados aproximadamente 450 ml de sangue, em poucos minutos, volume que contribui para salvar até quatro vidas, além de não fazer falta ao doador.

Devido ao baixo estoque de sangue o PACE Hemominas - Posto Avançado de Coleta Externa do Hemominas em Leopoldina apela aos doadores de sangue para que compareçam nesta quinta-feira, dia 18 de junho, no horário das 08h00 às 16h00 no Polo de Saúde Agostinho Pestana, localizado no prédio ao lado da Casa de Caridade Leopoldinense. 
 
A Biomédica da Secretaria Municipal de Saúde, Natália França Bedim, Coordenadora do PACE Hemominas em Leopoldina explica que para doar sangue, o candidato deve ter entre 16 e 69 anos, peso acima dos 50 Kg, estar em condições plenas de saúde, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 24 horas e estar alimentado. O candidato deve apresentar documento original oficial com foto, filiação e assinatura. São retirados aproximadamente 450 ml de sangue, em poucos minutos, volume que contribui para salvar até quatro vidas, além de não fazer falta ao doador. 
 
Mais informações podem ser obtidas através dos telefones (32)3449-7114 e (32)3449-6448 ou no Polo de Saúde, onde a coleta de sangue é realizada toda quinta-feira, das 08h00 às 16h00. 

Doação de sangue: procedimento seguro, simples e prova de solidariedade!

* Júlio César Souza Lobo

A doação de sangue é um procedimento descomplicado e, também, muito rápido, exigindo, apenas, cerca de 40 minutos para ser finalizado – desde o momento de cadastro no hemocentro de sua escolha até a coleta propriamente dita. No entanto, um gesto tão simples pode ser um fator decisivo para alguns pacientes. Afinal, reservando apenas uma fração do seu dia para realizar esta ação, você pode salvar até 4 vidas. Ou seja, cada pessoa salva pede em média 10 minutos do nosso tempo.

Esclarecimento é o primeiro passo em direção à solidariedade. Se você está preocupado com a sua integridade, por exemplo, pode ficar tranquilo. O sistema de doação de sangue foi construído sobretudo com medidas médicas e sanitárias que excluem riscos de contaminação durante o procedimento. Assim, aqueles que doam e aqueles que recebem a doação podem se sentir confiantes, pois, da coleta até a transfusão, o sangue passa por diversos protocolos de segurança.

Segundo a Fundação Pró-Sangue, instituição que é referência no campo, os requisitos básicos exigidos do doador obedecem normas nacionais e internacionais, com o objetivo de garantir proteção a todos os envolvidos. Dessa forma, define-se que doador pode ser a pessoa que tenha entre 16 e 69 anos, pese acima de 50 kg, seja portadora de documento original com foto e, no caso de menores de 18 anos, possua consentimento formal dos responsáveis. É preciso, ainda, que não apresente nenhum dos itens de impedimento temporário ou definitivo. Antes de agendar sua coleta, verifique atentamente a lista completa de exigências e, tendo qualquer dúvida, entre em contato com profissionais de saúde.

Considerando o contexto em que vivemos, o Ministério da Saúde alerta que, mesmo em tempos de pandemia, precisamos manter esta corrente do bem. É preciso preservar os estoques e mantê-los abastecidos, pois muitas vidas dependem da rede de doadores de sangue. São inúmeras as pessoas que passam por procedimentos médicos complexos e vários os pacientes portadores de doenças graves, estruturando um consumo contínuo, diário. Logo, a doação não pode parar. Se ela para, a vida também para.

Agora, imagine que você pode ajudar a manter este sistema com apenas 6 passos, em menos de uma hora. Olha só, primeiramente, você vai realizar seu cadastro de doador, momento no qual será verificado se há algum impedimento. Depois vem a triagem, etapa em que serão verificadas informações como pressão arterial, altura, peso etc. Aí vem o terceiro passo, o voto de autoexclusão, quando você deve declarar se seu sangue pode ser utilizado. Na quarta etapa, acontece a coleta, que dura cerca de 10 minutos e é realizada com materiais descartáveis, esterilizados e utilizados uma única vez. Depois, o hemocentro oferece um lanche e o doador deve aguardar cerca de 15 minutos. Por fim, no sexto passo, o sangue passa por testes antes de ser liberado para distribuição. Simples assim.

Justamente considerando o comprometimento com a saúde daqueles que doam e daqueles que recebem a doação, você pode ficar despreocupado. Durante a pandemia, as coletas são realizadas com o cuidado habitual acrescido de protocolos de segurança específicos para enfrentar o novo coronavírus (causador da COVID-19). Cuidado dobrado. Os atendimentos são realizados por agendamento, evitando aglomerações, e é obrigatório o uso de máscara para reduzir chances de contaminação. Pessoas com sintomas que possam indicar qualquer sinal do vírus não podem doar. Além disso, há pontos de coleta que estão operando com horário reduzido, bem como seguem os procedimentos recomendados pela Vigilância Sanitária. Por isso, é preciso verificar antes da doação questões como agendamentos e horários de funcionamento dos hemocentros.

Faça essa corrente do bem circular. Doe sangue!

* Júlio César Souza Lobo é médico graduado pela Universidade Federal do Paraná, especialista em clínica médica, gastroenterologia e endoscopia digestiva. Cooperado da Unimed Curitiba desde 1995. Atuou no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (HEMEPAR) e hoje é responsável pelos serviços de endoscopia dos Hospitais das Nações e VITA Curitiba.

Andressa Cristina da Rosa-Assessora de Comunicação
 
Com informações da Secretaria Municipal de Saúde de Leopoldina

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »