03/07/2020 às 14h18min - Atualizada em 03/07/2020 às 14h18min

Catálogo telefônico de Leopoldina contém erros, defeitos e omissões

Nelson Vieira Filho (Dr. Nelsinho)
Foto: Luciano Baía Meneghite
Desde 2015, portanto há cinco anos, escrevi no Leopoldinense, edição 274, sobre os “defeitos” do catálogo que a editora SEDPUBLICIDADE distribui em Leopoldina.

Tudo não continuou “como antes no Quartel de Abrantes”. Houve mudanças, mas para pior.

Com a pandemia provocada pelo Covid-19, os contatos telefônicos aumentaram e foi aí que, procurando contato com amigos, dei-me conta de que o catálogo está com uma gama censurável de erros e omissões.

A SED não está nem aí para os erros; sob o pretexto de bem informar os assinantes, contratou um excelente vendedor de comerciais e hoje as páginas de propaganda ocupam cada vez mais os espaços. Seria – ou é – razoável, pois é preciso financiar os custos da impressão tipográfica etc., mas não é razoável, é quase um acinte, que haja tantos erros de informação.

Parece que não se informam para retirar da lista os nomes de quem cancelou seu telefone fixo. É muita gente que cancelou e seus nomes e números continuam a gastar espaço e tinta para deixar escritos nomes de quem não mais é assinante.

Com tempo disponível, anotei, em breves observações, pelo menos 60 (sessenta) mudanças necessárias para o catálogo da SED cumprir sua missão, a de informar corretamente, isso só no setor Leopoldina - Endereços. No setor Leopoldina – Assinantes o caudal de erros é para profissional localizar e corrigir, mas atento fique quem for Mário, Júlio ou Augusto, todo mundo sob o risco de ser rebatizado com o nome de Maio, Julho ou Agosto, pois quem era Marco agora já é, no catálogo leopoldinense, Março, o nome do mês entre abril e maio.

Iria oferecer-me, salientando que agiria gratuitamente, para apontar-lhes pontos a revisar.

Telefonei para ((31) 3426.1223 e (31) 9.8935.1566 e não consegui falar com a firma. Mandei um e-mail para [email protected] e como resposta recebi um rotundo silêncio.

Salvo engano, a SED não está nem aí para quem procura contato.

É sonhar em vão que as firmas leopoldinenses só renovem o contrato de publicidade se a SED assumir que vai tornar menor o número de seus erros em seu catálogo?

Que tal ver como está, por ex., a rua que homenageia a memória do Dr. Clóvis Salgado Gama? Tal logradouro está inserido em nada menos que 4 (quatro) lugares no catálogo, em cada lugar com nome diferente.

Que tal se conseguir que não se grafe como rua Farjardo a rua Fajardo? Que tal corrigir o nome do logradouro onde está Onório, quando o correto é Honório Lacerda Filho?

Estou fazendo minha parte. Que tal cada uma fazer a sua? Que tal a ACIL, através de seu presidente Pedro Augusto Machado Monteiro, sempre dinâmico e eficiente (filho de peixe, peixinho é!), tomar a frente e exigir que a SED valorize seus patrocinadores e os assinantes leopoldinenses?




Advogado, ex-vereador e colunista do Leopoldinense

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »