14/08/2020 às 17h50min - Atualizada em 14/08/2020 às 17h50min

FIEMG entrega ventiladores do projeto Inspirar ao governo de Minas

Serão 1.600 equipamentos distribuídos a hospitais e municípios, de acordo com critérios técnicos definidos pela SES

Ana Flávia Tornelli /Link Comunicação
Pedro Gontijo/ Imprensa MG

Com a homologação dos ventiladores pulmonares produzidos pela empresa mineira de soluções tecnológicas Tacom, por meio do projeto Inspirar, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) entregou 1.600 equipamentos ao governo de Minas, nesta sexta-feira (14/8). Os equipamentos, doados pela FIEMG, serão distribuídos a hospitais e municípios, respeitando critérios técnicos da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e considerando o diálogo com as prefeituras.

“Com muito orgulho, a indústria mineira colabora com Minas Gerais. Com as doações que foram feitas atuamos em várias frentes: consertamos respiradores que estavam parados e investimos no Projeto Inspirar, da Tacom, que hoje entrega esse grande número de ventiladores. É um equipamento 100% mineiro, que mostra a resposta rápida da indústria do estado às angústias da sociedade”, afirmou Flávio Roscoe, presidente da FIEMG. O líder industrial lembrou ainda que o SENAI deu apoio técnico ao projeto Inspirar durante o desenvolvimento dos ventiladores.  

O suporte da indústria mineira nas ações de enfrentamento à pandemia da Covid-19  também foi destacado pelo governador Romeu Zema. “Sou muito grato à FIEMG e parabenizo a Tacom, que faz com que Minas esteja produzindo respiradores que salvarão vidas em outros estados e que desenvolveu esse produto em tempo recorde. Fico muito satisfeito de ver essa iniciativa que vai salvar vidas e criar oportunidades de emprego em um momento em que a atividade econômica tem sofrido tanto”, reforçou o governador mineiro.  

O equipamento foi idealizado e é produzido pela Inspirar, uma empresa Health Tech que nasceu da inquietação e percepção dos sócios da Tacom para minimizar os impactos no sistema de saúde gerados pela pandemia da Covid-19 e que contou com o suporte da FIEMG, que mobilizou a indústria e arrecadou recursos para viabilizar o projeto.  

A empresa desenvolveu uma tecnologia inédita para a fabricação dos equipamentos. Os ventiladores pulmonares chegam ao mercado com valores mais acessíveis do que os produtos semelhantes, além de serem mais fáceis de manusear. Desde a homologação da ANVISA, no último dia 3, os ventiladores podem ser utilizados e comercializados por hospitais de todo o Brasil.  

Cláudia Tonussi, diretora Administrativa da Tacom, contou que a equipe trabalhou intensamente com o objetivo de ajudar a salvar vidas. “Estamos muito honrados e orgulhosos de cumprir essa missão desafiadora e poder levar nossos equipamentos até leitos de hospitais de Minas e outros estados que precisam desse suporte. Estamos convictos que vamos conseguir salvar muitas vidas”. 

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo, os ventiladores mecânicos serão de grande importância para a rede de saúde, mesmo depois da pandemia. “Essa doação vai nos ajudar muito à reestruturar a rede, pois vai chegar na ponta, onde está o cidadão. Isso será importante nesse momento, mas também poderemos contar com eles para a manutenção do nosso sistema. Será um legado para a Saúde de Minas”, reforçou o secretário.  

Ventilador pulmonar mecânico 

O equipamento produzido é o VI-C19 que utiliza dois módulos para fazer a ventilação: o volume controlado (VCV) e o modo pressão controlada (PVC). Ele está apto a ventilar qualquer doente com insuficiência respiratória que necessite do apoio mecânico. O projeto foi desenvolvido por uma equipe multidisciplinar: médicos intensivistas, engenheiros, programadores e desenvolvedores.  

Alguns pacientes com doenças neuromusculares, como a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) - que inclui nesta categoria a enfisema, a bronquite e a asma - ou pessoas saudáveis que desenvolveram uma pneumonia ou infecção respiratória, podem usar o VI-C19 em caso de necessidade e ajuda mecânica. 

“O respirador não é um remédio, é um suporte para que a pessoa possa sobreviver enquanto está sendo medicada e tratada. Então os módulos que usamos no VI-C19 podem ser usados em qualquer doença, pois ele tem os recursos para variar a intensidade da ventilação, a sensibilidade do equipamento, adaptabilidade e o nosso ventilador é extremamente sofisticado nesse sentido’, reforçou Marco Antônio Tonussi, diretor de Marketing e Mercado da Tacom. 

Para mais informações sobre como adquirir o VI-C19, acesse o endereço http://www.projetoinspirar.com.br/ 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »