24/10/2020 às 14h03min - Atualizada em 24/10/2020 às 14h03min

Matriz São José Operário de Leopoldina comemora 70 anos

A Igreja Matriz de São José Operário na década de 1960 em fotografia de autor desconhecido e em seu aspecto atual (Foto: Luciano Baía Meneghite)
Uma Santa Missa realizada nesta quinta-feira (22) celebrou os 70 anos da Matriz São José Operário de Leopoldina (MG), localizada no Bairro de Fátima.

Devido à pandemia da Covid-19, não houve festividades, no entanto, foi realizada uma Santa Missa e um dia inteiro de Adoração ao Santíssimo, das 07h00 às 17h00, para louvar a Deus por todo este tempo de evangelização.

Às 19h00 foi transmitida pelas redes sociais da paróquia uma ‘Santa Missa dos 70 anos’ homenageando todos os fiéis que passaram pela Matriz São José Operário, além dos funcionários e colaboradores.


Foto: Paróquia São José Operário

“Nesta data que recordamos tantos momentos e histórias, dos padres que por aqui passaram, queremos fazer memória a todos que fizeram parte desta história. Não seria possível citar nomes de todos, mas saibam que estão guardados sob a proteção de São José Operário”, publicou a paróquia em suas redes sociais, evidenciando ainda que lá nasceram muitas pastorais e movimentos paroquiais, conduzidas pelo trabalho e amor de homens e mulheres de fé e coragem, cujos frutos permanecem e continuam se multiplicando.


Foto: Paróquia São José Operário

Aqui estamos unidos nesta comunidade que continua a missão iniciada há 70 anos, hoje, conduzidas por nosso Bom Pastor Dom Edson Oriolo e por nosso amado Padre Valtenir que, com a mesma dedicação e cuidado, tem continuado com ardor missionário o projeto de amor do coração do Nosso Bom Deus!

Neste tempo que vivemos, sabemos de todos os nossos desafios mas, sobretudo, reconhecemos quão grande é a força do Nosso Deus, que tem nos sustentado através dos tempos, unidos à São José como família de Nazaré, seguimos confiantes sob as misericórdias do Senhor!

Cheios de gratidão por tanto amor e cuidado, com o coração em festa, em ação de graças, louvor e glórias pelo amor de Nosso Senhor Jesus Cristo, em honra ao glorioso São José Padroeiro desta Paróquia, que em sua poderosa intercessão tem zelado por cada um de nós, na certeza de que o amor de Deus e o cuidado de São José nunca nos falta, dizemos com muito entusiasmo: NÓS FAZEMOS PARTE DESSA HISTÓRIA!

Recebam nossos agradecimentos. Se chegamos até aqui é porque muitos e muitas ajudaram a construir essa história. Nossa homenagem e agradecimento! Deus abençoe!


História


1950 - Pia União das Filhas de Maria na antiga Capela de São José Operário no prédio da “Fábrica” Companhia de Fiação e Tecelagem Leopoldinense. A atual Igreja Matriz estava em construção.
(Fotografia gentilmente cedida por Beto Rosa Monteiro)
 
Com a chegada da congregação religiosa ‘Ordem dos Cônegos Regulares de Santa Cruz’ em Leopoldina (MG), conhecidos como Cruzios, foi fundada a Igreja Matriz de São José, no ano de 1950, pelos padres Martinho Arntz OSC, Jerônimo Barten OSC e José Duynhoven OSC.


Local da Capela original na rua 27 de Abril (Acervo da Paróquia e Google Maps)

No início de suas atividades na cidade, os padres Crúzios realizavam celebrações nas dependências da Companhia de Fiação e Tecelagem Leopoldinense na rua 27 de Abril, depois em outro galpão também de propriedade da fábrica na antiga Rua da Floresta, atual rua Francisco de Andrade Bastos. Após a doação de um terreno de 10.000m2, foram iniciadas as obras – consta que estavam nos planos a construção de um convento e um seminário no local.

O templo católico seguiu os mesmos traços arquitetônicos de uma Igreja localizada Holanda, país de origem dos sacerdotes desta congregação religiosa, que ajudaram com recursos e donativos para a construção.

O Decreto Diocesano de instituição da Paróquia São José foi assinado por Dom Delfim Ribeiro Guedes, no dia 01 de julho de 1950, conforme consta no 1º Livro de Provisões da Cúria Diocesana, à folha 66v., nº 84.

Na década de 1970, com a diminuição das vocações sacerdotais, o Seminário de Filosofia foi extinto. Com isso, o prédio e uma parte dos terrenos anexos foram alienados para uma clínica psiquiátrica. A escritura foi assinada em 06 de abril de 1971.
 
Já em 1996, com a falta de sacerdotes, os padres Crúzios resolveram entregar à Diocese de Leopoldina a Igreja; a casa paroquial e os terrenos anexos a uma área de 4.295,02 m2, para que a mesma designasse um pároco do clero diocesano e continuasse o mesmo objetivo paroquial. A doação foi marco de generosidade dos Padres Crúzios.


A Igreja e o seminário ao lado ainda em construção (Fotografia de Ivan Carlos Corrêa)

Relação de padres

1° Padre - Martinho Arntz - 1950-1958

2° Padre - Egídio Donkers - 1958-1979

3° Padre - André Bleeker - 1979-1993

4° Padre - Monsenhor Cláudio - 1993-1995

5° Padre - José dos Santos - 1995-1996

6° Padre - Sebastião Jorge Corrêa - 1996-2003

7° Padre - Marcos Luis Caldas Abreu - 2003-2013

8° Padre -Antonio Luis da Silva - 2013-2014

9° Padre - Valdemar Tadeu Ferreira O. G. Lima 2014-2017

10° Padre - Valtenir de Lima e Silva - 2017 até a presente data. 


(Foto: Luciano Baía Meneghite-Jornal Leopoldinense)

Fonte> Diocese de Leopoldina
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »