10/09/2014 às 09h45min - Atualizada em 10/09/2014 às 09h45min

Fundação Cristiano Varella inaugura Memorial

O Memorial está aberto à visitação pública de segunda a sexta-feira, entre 09h e 16h.

Jornal de Muriaé
O Memorial está aberto à visitação pública.

“Se eu fosse um anjo, eu só iria fazer o bem para as pessoas. Iria ajudar as criancinhas para que nada de mal acontecesse com elas”. Foi com este pequeno texto, parte de uma redação escolar, escrita aos 10 anos de idade, que Cristiano Ferreira Varella, mesmo sem saber, deu o primeiro sopro para a concretização de um grande projeto, responsável por salvar milhares de vidas e por dar esperança a várias famílias.

Vítima de um acidente automobilístico que lhe ceifou a vida aos 22 anos de idade, o jovem, além de uma grande saudade, deixou a inspiração para que seus familiares seguissem adiante, através da promoção do bem e da diminuição da dor alheia. Assim, em 04 de setembro de 1995, surgia o Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella.

O complexo, que conta com mais de 40 mil metros quadrados de área construída, é dividido em três blocos (com projeto para mais um), Casa de Apoio e Memorial. Este último espaço, dedicado à memória de Cristiano, à arte, educação e cultura, foi oficialmente inaugurado na quinta-feira (04). “O projeto do Memorial foi concebido desde o estatuto da Fundação e, hoje, estamos conseguindo colocá-lo em funcionamento, oferecendo toda sua funcionalidade e suas atividades à população de Muriaé e região”, ressaltou o diretor administrativo da Fundação, Sérgio Dias Henriques.

A solenidade – que aconteceu no dia em que Cristiano completaria 42 anos de idade –, teve início com a inauguração da estátua de bronze, de 2,70 m de altura, concebida pelo artista plástico Pedro César Almeida Santos, em homenagem ao jovem. A mãe, Dona Maria da Glória Ferreira, e os irmãos, Luciano e Lael Filho fizeram o descerramento da obra, colocada de frente para um belíssimo espelho d’água, na fachada do Memorial, completando sua estrutura ousada e moderna. “A Fundação é fruto de um trabalho sério e árduo, que promoveu uma cura no coração de nossos familiares, amenizando a dor de outras pessoas. Por isso, este é um lugar de celebração da vida”, emocionou-se Lael Filho.

Na ocasião, também foi inaugurado o hall principal do Memorial. A placa oficial foi descerrada por membros da família Varella, ao lado do então presidente do Conselho Consultivo da Fundação, Carlos Alberto Campos de Carvalho. O espaço foi abençoado por Padre Roberto Nogueira de Souza Neto e, a seguir, os convidados se dirigiram para o auditório, onde o diretor Administrativo Sérgio Dias Henriques apresentou um slide institucional e destacou a atuação da Fundação Cristiano Varella – considerada o maior complexo hospitalar de Oncologia de Minas Gerais, com atendimento a uma área de abrangência de mais de cinco milhões de habitantes.

Na sequência, a museóloga da Oficina 3 Comunicação Museológica, Ana Silvia Bloise, de São Paulo, falou sobre o trabalho realizado no Memorial, que além de funcionar como espaço cultural, com constantes exposições de arte, também conta toda a história da Fundação, com exposição de vários registros e documentos. O prédio abriga ainda o Auditório para 280 pessoas; o Mausoléu, com os restos mortais de Cristiano; uma Pinacoteca e uma Exposição Multimídia, com objetos pessoais do jovem. No espaço também será instalada a Rede Atividade de Comunicação.

A emoção tomou novamente conta do público quando o Coral da Fundação subiu ao palco para apresentar as músicas “Esperança” e “Um sonho a realizar”. Nesta segunda, o pequeno Davi Duarte Natalino, de 7 anos, entrou vestido de cavaleiro, montado em um cavalinho de brinquedo, representando Cristiano, que era um amante do Hipismo. Davi é um dos milhares de pacientes que foram salvos pelo Hospital do Câncer, onde foi internado, aos dois anos de idade, para tratar de uma leucemia.

A cerimônia prosseguiu com a entrega de diplomas e da “Medalha Cristiano Varella”. Foram agraciados membros do Conselho Consultivo da Fundação e personalidades que contribuíram para sua criação e desenvolvimento: Adellunar Marge, Alexandre Ferreira Rodrigues, Amaury Valle Ribeiro, Carlos Alberto Campos de Carvalho, Eduardo Goulart Gomes, Fábio Luiz de Souza Oliveira, Guilherme Eustáquio Dornelas Cavalher, João de Souza Moreira, Laura Silva Tostes, Luiz Alberto Miranda, Marcelo Portilho Rodrigues, Márcio José Escoparo, Paulo Cezar Paiva dos Santos, Pedro Paulo Rodrigues de Souza, Regis Miranda Dias e Sebastião Messias dos Reis.

Ainda durante a solenidade, aconteceu a transmissão de posse à Nova Diretoria. O então presidente da Fundação, Carlos Alberto Campos de Carvalho passou o cargo a Eduardo Goulart Gomes. “Foi uma grande honra fazer parte desta instituição que tem cumprido com louvor seu papel de salvar vidas, combater o câncer e aperfeiçoar a excelência no atendimento humanizado”, ressaltou Carvalho, que agora assume como vice-presidente do Conselho.

Ao final, os convidados participaram de um coquetel de confraternização e puderam visitar os três pavimentos do prédio do Memorial e muitos se emocionaram no Mausoléu – espaço cujas paredes apresentam a pintura sacra de Maria Fonseca e onde estão depositados os restos mortais de Cristiano. Já na Exposição Multimídia, os visitantes puderam ver uma réplica perfeita do jovem, em cera, feita no Museu Madame Tussauds, de Londres, assim como o cavalo Fedro, conservado por taxidermia, entre outros objetos pessoais do Patrono da Fundação. Também foi visitada a Pinacoteca, onde ficarão expostas, permanentemente, 500 gravuras do artista plástico Kico Tamberlini; pinturas de Lorenzato; e objetos em miniatura de Willi de Carvalho.

Visitação Pública

O Memorial da Fundação Cristiano Varella está aberto à visitação pública de segunda a sexta-feira, entre 09h e 16h. Durante este mês de setembro, excepcionalmente, estará aberto aos sábados e domingos, de 13h às 17h.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »