17/11/2020 às 10h49min - Atualizada em 17/11/2020 às 10h49min

Agenda especial da Assembléia Legislativa marca os 300 anos de Minas Gerais

Comemorações destacam força da história do Estado e seu potencial, mirando o futuro.

Assessoria de Imprensa da ALMG-Gerência-Geral de Imprensa e Divulgação
Vista parcial da cidade de Ouro Preto, que se tornou um dos cartões postais do Estado - Arquivo ALMG - Foto Alair Vieira
Minas que não é só do ouro. Minas da rica cultura, da resistência política, do diálogo e da moderação; e também da diversidade, da agricultura e pecuária, das start-ups, da ciência e da inovação tecnológica. O aniversário de 300 anos deste Estado tão peculiar é tema de uma agenda especial na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), neste fim de ano.

A programação comemorativa, elaborada pela Assembleia em parceria com outros órgãos e instituições públicas, destaca a importância histórica de Minas Gerais, ao mesmo tempo em que propõe uma reflexão sobre os desafios do presente e o futuro que se espera para os mineiros.

A primeira ação é o lançamento da segunda edição do livro Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho: Artista Síntese, da historiadora Cristina Ávila e do fotógrafo Márcio Carvalho, nesta quarta-feira (18/11/20).

Em fotos e textos, o livro detalha a obra daquele que é considerado um dos gênios mineiros. A primeira edição foi lançada em 2014, também no dia 18 de novembro, data de morte de Aleijadinho, quando se comemora o Dia do Barroco Mineiro, instituído pela Lei 20.470, de 2012, criada na Assembleia, fruto de um projeto do ex-deputado Dinis Pinheiro.

Liberdade - O espírito da comemoração é celebrar o passado, refletir sobre o presente e projetar o futuro, como forma de contribuir para a transformação de Minas Gerais, por meio de um processo inclusivo, solidário, sustentável e democrático, conforme destaca o presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus (PV). "Os 300 anos são uma oportunidade de resgatar e valorizar essa história única, escrita ao longo dos tempos pelo povo de um Estado que tem a liberdade como seu signo maior”, afirma.

Para o presidente da ALMG, as celebrações pelos três séculos de Minas devem ocorrer paralelamente a uma valorização da identidade das instituições, com a participação de toda a sociedade. "Como sempre ocorreu, hoje mais uma vez Minas Gerais compartilha com o país suas mais autênticas características de conciliação, moderação, equilíbrio e desmedido apreço pela democracia”, ressalta.

Programação inclui seminário virtual, livros e mostra de fotografias

Parte da agenda comemorativa dos 300 anos teve que ser suspensa, em razão dos esforços para contenção da pandemia de Covid-19, recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Com cautela e atenção à situação sanitária, o Poder Legislativo adequou-se rapidamente e continuou funcionando de forma semipresencial, exercendo seu papel fundamental para ajudar o Estado a superar a crise. Assim, também, boa parte das comemorações estão sendo feitas em meio virtual.

A semana comemorativa começa na segunda-feira, 30/11, com o lançamento da exposição virtual de fotografias Minas Arte em Casa - 300 anos de Minas Gerais – Fotografia. Ao todo, foram selecionados 60 trabalhos, que serão expostos em galeria virtual hospedada no Portal da Assembleia e num hotsite com conteúdo sobre os 300 anos. 

De 30/11 até 7/12, haverá uma intervenção artística no Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira. As fotografias que compõem a exposição serão projetadas diariamente, a partir das 19 horas, na parede de mármore do local.

No dia 1º/12, a partir das 10 horas, tem início o Webinário Tradição e Modernidade: as reinvenções criativas da arte em Minas Gerais. Haverá mesas redondas virtuais, via aplicativo Zoom e transmissão ao vivo no canal da Assembleia no YouTube. Entre os palestrantes, estão a professora emérita Eneida Maria de Souza, da Faculdade de Letras da UFMG; o presidente da Academia Mineira de Letras (AML), Rogério Tavares; e o professor José Newton Meneses, historiador da UFMG.

Na ocasião, serão lançados mais dois livros: Nossa Comida tem História, organizado pelo professor José Newton Meneses; e Revista da Academia Mineira de Letras – Dossiê dos 110 anos da AML. 

Reunião Especial no Plenário fecha agenda

No dia 2/12, para fechar a programação, será realizada Reunião Especial Comemorativa dos 300 anos, a partir das 17 horas. A reunião será transmitida ao vivo do Plenário, pela TV Assembleia e também no canal da Assembleia no YouTube. Participarão do evento representantes das instituições correalizadoras e parceiras do projeto.

E mais um livro será lançado no Plenário, Minas Gerais. Visão de conjunto e perspectivas, nas versões e-book e impressa, de autoria do professor João Antônio de Paula, que também foi responsável pela curadoria das comemorações dos 300 anos. 

Durante o evento haverá, ainda, exibição de vídeo conceitual dos 300 anos de Minas Gerais, incluindo a canção Encontro das águas, de Tavinho Moura, executada com voz, violão e cravo.

Realização - A agenda de comemoração dos 300 anos da Assembleia Legislativa tem como correalizadoras as seguintes instituições: Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Ministério Público de Minas Gerais, Defensoria Pública de Minas Gerais, Tribunal de Contas do Estado e Universidade Federal de Minas Gerais. O Legislativo também contou com a parceria da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Minas Gerais, do Instituto dos Advogados de Minas Gerais (IAMG) e da Academia Mineira de Letras (AML).

O marco dos três séculos de criação do Estado foi estabelecido em 2 de dezembro de 1720, porque foi nesta data que a antiga capitania de São Paulo e Minas do Ouro foi desmembrada pela Coroa Portuguesa dando origem à Capitania de Minas. Veja a programação completa e mais informações no hotsite dos 300 anos de Minas Gerais.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »