17/09/2014 às 19h02min - Atualizada em 17/09/2014 às 19h02min

Joaquim Guimarães - candidato a deputado federal - 1962

Luciano Baía Meneghite
Acervo - Jornal Leopoldinense

Mensagem do candidato a deputado federal Joaquim Guimarães publicada na edição nº 323 do seu jornal "Ilustração" de 18 de Março de 1962.

 
Joaquim Custódio Guimarães

Por José do Carmo Machado Rodrigues

Joaquim Custódio Guimarães, farmacêutico, nascido em Leopoldina no dia 21 de dezembro de 1912, era o filho mais novo dentre os onze filhos do também farmacêutico Martinho de Campos Guimarães e de sua mulher, Da. Hercília Furtado Guimarães. Cursou o primário no Grupo Escolar Ribeiro Junqueira, o secundário no Ginásio Leopoldinense, diplomando-se em farmácia, no ano de 1932, pela Faculdade de Farmácia da Universidade do Rio de Janeiro.

Formado, assumiu a direção da Farmácia Moderna fundada por seu pai, inicialmente na Rua Sete de Setembro esquina coma a atual Praça Professor Botelho Reis, depois transferida para sede própria no atual número 166 da Rua Barão de Cotegipe.

Dos filhos de Martinho Guimarães, três tornaram-se farmacêuticos – Joaquim, Pompílio e Maria Amélia. E farmacêuticos também os netos, Jairo e Jones (filhos de Alzira) e Elizabeth (filha de Joaquim).

No exercício de sua nobre profissão, em Leopoldina, Joaquim Custódio Guimarães foi profissional competente, dedicado, cidadão respeitadíssimo que se fez indispensável à comunidade. Trabalhou desde muito criança na farmácia do pai fazendo entregas e outros serviços. Fundou, em 1933, o laboratório farmacêutico por ele denominado Instituto Martinho Guimarães - nome dado em homenagem ao pai - cujos produtos, lançados em Leopoldina, foram receitados em todo o Brasil: Bismutilan, Calciotone, Euritival, Geri-Tone, Neocolagol, Enterovermil, Hepatormon, dentre outros.

Presidiu o Clube da Farmácia, no Rio de Janeiro. Viajou por quase todo o Brasil e, algumas vezes, ao exterior. Guardava estima especial pelo dentista Job Nogueira, que lhe ofereceu o almoço festivo de formatura quando de sua chegada a Leopoldina. Manifestava também especial apreço ao amigo, padre José Domingues, pelo estímulo que este lhe dispensava nos momentos difíceis, em muitas visitas ao Laboratório.

Dizia-se também reconhecido ao irmão Pompílio, que lhe custeara a permanência no Rio de Janeiro durante a formação universitária.

Como industrial, já enormemente atarefado, não se furtava a abraçar iniciativas de interesse da comunidade. Assim é que participou da direção de diversas entidades em nosso município. Foi presidente do Clube Leopoldina, diretor da Caixa Escolar do Grupo Ribeiro Junqueira, secretário do Asilo Santo Antonio, conselheiro da Casa de Caridade Leopoldinense e presidente da Associação Comercial de Leopoldina. Para esta última contribuiu na aquisição do terreno onde hoje se situa. Também auxiliou Rubem Duarte na construção do prédio.

Esteve na presidência do Esporte Clube Ribeiro Junqueira, sendo obra sua a iluminação do estádio. Rotariano dedicadíssimo não aquiesceu, todavia, à sua indicação para Governador do Distrito Rotário 4580, indicando para o posto o companheiro José Gomes Domingues.

Como delegado do Rotary Clube de Leopoldina compareceu à Convenção Internacional de Rotary realizada em Atlantic City (USA), no ano de 1951.

Manteve durante muitos anos o jornal “Ilustração”, de gratíssima lembrança entre os leitores leopoldinenses. Amava profundamente esta cidade. É doação dele a imagem de Jesus Crucificado, no altar da Catedral de São Sebastião.

Joaquim Custódio Guimarães, falecido aos 13 de julho de 1987, era casado com Da. Maria Pureza do Carmo Guimarães desde 24 de junho de 1942. O casal teve seis filhos dentre os quais o atual Vice-Presidente de Relações Institucionais da Rede Globo, Evandro Guimarães, Elisabeth, Emerson, Eloá (falecida), Alziro e Eliane. Legaram, Joaquim Guimarães e esposa, a todos os seus filhos a marca da intelectualidade, do espírito público e da simpatia.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »