07/05/2021 às 12h05min - Atualizada em 07/05/2021 às 12h05min

Inaugurado Papre na comarca de Muriaé

Posto de Atendimento Pré-Processual funciona no Centro da cidade juntamente com o Núcleo de Práticas Jurídicas da Unifaminas.

Núcleo de Práticas Jurídicas da Unifaminas está instalado no centro de Muriaé (Divulgação)
A comarca de Muriaé, Zona da Mata Mineira, ganhou um Posto de Atendimento Pré-Processual (Papre) que já está funcionando no Centro Universitário Unifaminas, faculdade que mantém um curso de bacharel em Direito na cidade. O Papre foi inaugurado na última sexta-feira (30/4), por meio de solenidade remota que contou com a presença do 3º vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Newton Teixeira Carvalho.

O Papre está vinculado ao Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ), que a Unifaminas mantém há mais de 14 anos e que tem a função de dar suporte aos alunos do curso de Direito, como ferramenta aos alunos colocar em prática toda teoria passada pelos professores.

O NPJ da Unifaminas, com a chegada do Papre, foi reinaugurado no centro de Muriaé, próximo ao Fórum Tabelião Pacheco de Medeiros e aos principais cartórios, o que facilitará não apenas o trabalho dos alunos, mas principalmente da população da região que recebe atendimento jurídico gratuito.

"Foi com grande prazer que participei da inauguração do Papre na comarca de Muriaé. Trata-se de um local muito acolhedor e pude sentir grande empolgação de alunos e professores em continuar oferecendo para a população carente um serviço jurídico de excelência", comentou o desembargador Newton Teixeira Carvalho.

Ele explica que o Papre é um braço do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) na comarca de Muriaé e tem a função de tentar solucionar conflitos através da mediação, antes que se tornem processos litigiosos. "Destaco aqui a importante função das universidades de Direito em prestar este tipo de serviço aos mais necessitados", observou o 3º vice-presidente do TJMG.

 
Responsável pelo Cejusc em Muriaé, o juiz da Vara de Execuções Criminais, da Infância e da Juventude e de Cartas Precatórias Criminais, Juliano Carneiro Veiga, se mostra muito otimista com a instalação do Papre dentro do ambiente universitário. "Toda universidade de Direito tem que ter o seu Núcleo de Práticas Jurídicas como forma de dar suporte aos alunos. A chegada do Papre enriquece o Núcleo, pois permite que audiências de conciliação sejam realizadas entre as partes, evitando-se novos litígios", comemora o magistrado.

Ele ainda explica que todos os acordos realizados por meio do Papre serão encaminhados e homologados no Cejusc. "Quero destacar esta grande parceria entre o Tribunal de Justiça e a Unifaminas, o que permitirá maior conhecimento prático aos alunos do curso de Direito e ganho para a população da região, principalmente aos mais carentes", completa.

O professor e coordenador do Núcleo da Unifaminas, Fernando gomes Schettini, salienta que o NPJ foi instalado em 2007, mas funcionava em um local distante do centro da cidade. Com a chegada do Papre, a direção da faculdade providenciou a mudança do Núcleo para a centro de Muriaé, oferecendo mais estrutura para a população. "O Núcleo já era uma referência positiva na cidade, e agora podemos ser mais ágeis no nosso trabalho, pois os alunos estarão mais próximos do fórum e dos cartórios", destaca Fernando.

"O Núcleo sempre fez parte do nosso dia-a-dia na faculdade. Com o Papre será ainda melhor pois estaremos alinhados com a justiça do futuro que incentiva as práticas autocompositivas, ao invés de demandas litigiosas", comentam os alunos do 9º período de Direito da Unifaminas, Gilmara Helena e Rafael Henriques.

A coordenação do Papre na comarca ficará por conta do também professor da Unifaminas, Eduardo de Assis Pinheiro. A comarca de Muriaé possui população aproximada de 125 mil habitantes, sendo a segunda maior da Zona da Mata, atrás apenas de Juiz de Fora. Além de Muriaé, fazem parte da comarca as cidades de Laranjal e Rosário da Limeira.

Assessoria de Comunicação Institucional - Ascom

Tribunal de Justiça de Minas Gerais - TJMG

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »