14/06/2021 às 19h19min - Atualizada em 14/06/2021 às 19h19min

Resultados do Programa Pró-Mananciais são apresentados aos vereadores

Membro do Colmeia, apresentou relatório sobre atividades desenvolvidas pelo Programa Pró-Mananciais visando à melhoria da quantidade e qualidade da água.

Marco Teixeira, Coordenador do Setor de Meio Ambiente da COPASA,
Atendendo a uma proposição de autoria do vereador Gilmar Pimentel, aprovada pelo plenário da Câmara Municipal, a reunião ordinária, realizada no dia 08 de junho de 2021, contou com a participação de Marco Teixeira, Coordenador do Setor de Meio Ambiente da COPASA, que explanou sobre o Programa Pró-Mananciais.

Inicialmente, o convidado comentou que as ações do programa em Leopoldina são desenvolvidas pelo grupo Colmeia (Coletivo Local do Meio Ambiente), que é integrado por representantes da COPASA, Emater, Epamig, IEF, além de gestores ambientais e profissionais liberais que atuam de forma voluntária.

Marco Teixeira explicou que o Programa Pró-Mananciais foi iniciado no final de 2018 e aproveitou para solicitar a indicação de um membro do Legislativo para participar do Colmeia. Segundo ele, trata-se um programa muito importante para o município, pois o objetivo geral é proteger e recuperar a microbacia hidrográfica e as áreas de recargas dos mananciais que servem para captação do sistema público de água operado pela COPASA.

O palestrante salientou que todas as ações do programa visam à melhoria da quantidade e da qualidade da água distribuída no município, tendo como um dos princípios a responsabilidade compartilhada com a sociedade que será atendida. Neste sentido, ele informou que são desenvolvidas diversas ações para promover o engajamento externo e o envolvimento das comunidades.

Marco Teixeira confirmou que o Programa Pró-Mananciais já está presente em 224 municípios, sendo que, na região da Zona da Mata, somente Leopoldina, Cataguases, São João Nepomuceno e Palma foram contemplados, embora haja interesse de vários outros municípios.

O convidado listou diversas ações que foram realizadas pelos membros do Colmeia, entre elas, visitas na região de abrangência da bacia do Pirapetinga, cuja extensão é de 55 km². Segundo ele, na Comunidade dos 104, foi identificada a primeira nascente da sub-bacia do Pirapetinga que foi encontrada com grande quantidade de lixo, mas esclareceu que esta situação já foi restaurada.

Marco Teixeira informou que as visitas tiveram a finalidade de conhecer os problemas na região, visando planejar ações em busca de solução para as dificuldades encontradas. Ele comentou que nas Comunidades do 104 e dos Coelhos foram registradas reclamações sobre lixo, transporte e estradas. Diante do diagnóstico e do levantamento rural, foram realizados cursos de capacitação de operadores de máquina e de preservação de nascente. Além disso, foram construídos 7 km de cerca, 9 km de estruturação de estradas e construção de 116 barraginhas nas propriedades amontantes da captação de água da Serra da Vileta, que colaboram com o Rio Pirapetinga e que são beneficiadas pelo programa.

Ao final, o palestrante também destacou o envolvimento das comunidades em ações promovidas pelo Colmeia, como comemoração do Dia do Meio Ambiente, em 2019, com participação das escolas e a realização da Primeira Semana Florestal com gincanas, oficinas e campanhas para recolhimento de tampinhas e óleo de cozinha. Segundo ele, em virtude da pandemia, as ações sociais não foram realizadas no ano de 2020.  

Em seguida, Cimar Onofre Barbosa, ex-funcionário da Emater e membro do Colmeia, participou da reunião e explicou um pouco sobre o projeto das barraginhas e também sobre a importância do Programa Pró-Mananciais.
Segundo ele, Leopoldina possui cerca de 1500 propriedades rurais, com mais de 3000 residências, sendo que 90 % desse total estão jogando esgoto nos córregos do município. Cimar Barbosa defendeu que deveria ser desenvolvido um programa a fim de incentivar as famílias rurais, residentes às margens do Rio Pirapetinga, para construção de fossas a fim de evitar que o esgoto seja jogado nas águas do rio.

Outro problema ambiental destacado pelo palestrante foi a degradação das pastagens no município e informou que cerca de 70% delas estão degradadas, principalmente nas áreas de topo de morro, que podem ser recuperadas através dos projetos de barraginhas.

Em seguida, os vereadores tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas relativas ao tema e se alternaram em questionamentos aos convidados que responderam a todas as perguntas. Ao final, o Sr. Presidente agradeceu as participações de Marco Teixeira e Cimar Barbosa e reiterou o posicionamento de apoio do Legislativo ao Programa Pró-Mananciais.

Fonte> Portal da Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »