20/06/2021 às 16h45min - Atualizada em 20/06/2021 às 16h45min

E se fez um vazio

Luiz de Melo Sobrinho (*)
Posse de Dr. Antônio Márcio na ALLA em 18/12/2008. À esquerda Glória Barroso e a saudosa Déa Junqueira. À direita Dr. Ronald, o também saudoso Zé do Carmo, Professor Luiz, Zezé Garcia e Arnaldo Espíndola (Foto: Arquivo jornal Leopoldinense)
Irmanando-se a outras instituições e entidades de Leopoldina e do Brasil afora, a Academia Leopoldinense de Letras e Artes lamenta a perda de seu membro ilustre, Dr. Antônio Márcio Lisboa.
 
Aprimorando-se no domínio do conhecimento científico, no ramo da Medicina, o Dr. Antônio Márcio Lisboa soube valorizar os Diplomas que recebeu ao longo de sua produtiva trajetória. Mas soube, sobretudo, colocar acima do que possam significar tais diplomas, aquele conhecimento que é merecidamente seu e que transcende as limitações dos compêndios, lições e práticas universitárias de caráter institucional. Ele soube crescer por conta própria. E cresceu e o demonstrou. Sua habilidade, sua psicologia temperada de carinho, seu procedimento revestido de respeito aos valores humanos conferiram-lhe, no exercício da profissão, aquele poder cativante da empatia que lhe garantiu o sucesso em aceitação, credibilidade e eficiência. E é justo afirmar que, aliado à sua competência, estava o carisma da bondade humana em essência.
 
E faz-se oportuno lembrar o mais que milenar dito de Marcus Terentius Varro: "Pater est filius".  Ele é filho de seu pai. O Dr. Antônio Márcio Lisboa é filho do Dr. Irineu Lisboa. Quem conheceu o Dr. Irineu sabe da humanidade nele personificada. A Antônio Márcio herdou esse tesouro de humanidade. Cultivou-o zelosamente e o inseriu em seu afazer do dia a dia.
 
Antônio Márcio Lisboa, embora tenha tido, sobre ele, um céu estrelado de sucesso e, dentro dele, a cintilação da dignidade moral, sempre se posicionou serenamente acima do patamar de prepotência, de soberba, de vanglória. Sua real grandeza e sua admirável sabedoria, ele soube revelar através do encanto da simplicidade.
         
Detentor de um curriculum vasto e rico, Dr. Antônio Márcio Lisboa demonstrava, com frequência e especial carinho, sua satisfação por pertencer à Academia Leopoldinense de Letras e Artes. E a Academia, por sua vez, se sente honrada e engrandecida com sua presença. Estando em Leopoldina, ele sempre fez questão de participar das reuniões da ALLA.  
 
A Academia, agradecida por sua preciosa participação, lamenta sua partida e assegura que seu legado de integridade, competência, dedicação e cultura como médico, professor, escritor e cidadão, deixa-o presente e em destaque na História da Academia Leopoldinense de Letras e Artes.
                                                             
(*) Representando a ALLA-Academia Leopoldinense de Letras e Artes

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »