11/11/2021 às 17h41min - Atualizada em 11/11/2021 às 17h41min

Pré-estreia do documentário “Leopoldina Orquestra: patrimônio sonoro da cidade” foi um sucesso

A pré-estreia aconteceu na noite desta quarta-feira, (10) e o lançamento oficial será no dia 13 de novembro no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira.

Público presente. Foto: João Gabriel Baía Meneghite
Aconteceu nesta quarta-feira, 10 de novembro, no auditório do Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, a   pré-estreia do documentário “Leopoldina Orquestra: patrimônio sonoro da cidade”. O filme conta a trajetória da Leopoldina Orquestra, e traz à tona a importância da preservação da memória da cidade.


 Foto: João Gabriel Baía Meneghite
 
No dia 13, sábado, às 10h30m, será a abertura da exposição homônima também no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, que ficará aberta para visitação até o dia 02 de dezembro. A estreia do filme será no dia 14 de novembro, próximo domingo, às 18h30, a entrada 1 quilo de alimento não perecível.




 Filó Toledo equipe de produção e alguns dos colaboradores
 (Foto: João Gabriel Baía Meneghite)
 
Quem esteve presente

Estavam presentes a equipe de produção: Filomena Toledo, Ricardo Oliveira, Iano Almeida e Cristiano Fófano. Os entrevistados com suas respectivas famílias Sergio Domigues França, Dário Lemos e Darcy Ferreira. O secretário de cultura Hudson Rodrigues de Jesus, o ex-superintendente de cultura Saron Durães, a ex-secretária de cultura Amanda Almeida. O diretor da UEMG Rodrigo Fialho, Marcela Domingues, o diretor da Casa de Leitura Lya Maria Muller Botelho Alexandre Carlos Moreira, o presidente da ACIL Pedro Augusto Machado Monteiro e Lilian responsável pelo Marketing da ACIL, João Gabriel Baia Meneghite do Jornal Leopoldinense.  A família da diretora do documentário: o marido Sergio Barbosa França, a filha Vivian Toledo, o neto João Pedro Gorrado de Almeida Machado, seu irmão Marco Antônio Toledo Gorrado e suas cunhadas Rachel Tomé Gorrado e Denise França Ourique.

  
Professor Sérgio França e Dário Sapateiro que tiveram depoimentos registrados no documentário estiveram presentes 
(Foto: João Gabriel Baía Meneghite)

Segundo a produtora do documentário, Filó Toledo, “a exposição, com mostra de objetos, partituras e fotografias, conta a trajetória da orquestra e utiliza dos objetos comuns do cotidiano da época para que as novas gerações percebam o quanto o mundo se transformou. Abordamos também os hábitos e costumes das décadas eleitas. A primeira parte da exposição contextualiza a sociedade leopoldinense das décadas de 40 a 60 do século XX e aborda a origem da Leopoldina Orquestra, passando pelas bandas de música, o Jazz Band até a estréia da orquestra. A segunda parte da exposição retrata as três fases da Leopoldina Orquestra. Temos como objetivo estimular a reflexão sobre nosso espaço urbano, nossas raízes musicais e os caminhos trilhados” esclarece.

Participaram do documentário como entrevistados: Athayde Ferreira Pontes, Darcy Muniz Ferreira, Edy Abrantes Pinto, Elpídio Rodrigues, Irandy Furtado, Maria José Nogueira, Maria Tereza Ienaco de Campos, Rubens Dário Lemos e Sergio Domingues França.
   
O documentário contou com o apoio da ACIL, UEMG, Jornal Leopoldinense, Arbbos, Sol & Neve e da Secretaria Municipal de 
Cultura,Esporte, Lazer e Turismo de Leopoldina.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »