28/04/2022 às 22h57min - Atualizada em 28/04/2022 às 22h57min

Pra quê continuar enxugando gelo?

Luciano Baía Meneghite
Praça Carlos Luz Meneghite é uma das muitas áreas de lazer com manutenção precária. (Foto: Luciano Baía Meneghite -22/04/2022)
Quando se tira o bode da sala, a sensação é de melhora. Acho que todo mundo conhece essa história. Foi mais ou menos o que aconteceu no primeiro ano do atual governo municipal no que toca a limpeza urbana. A cidade estava em petição de miséria e uma ação emergencial de capina, poda, retirada de entulhos, desentupimentos de bueiros, entre outras surtiu efeito positivo. 

Claro que apesar da boa vontade de funcionários da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, a situação continua longe da ideal. O próprio secretário Totonho Félix já disse mais de uma vez que após percorrerem o último bairro, o que foi limpo primeiro já precisa de nova visita.

Esse sistema podia até funcionar melhor em décadas passadas, quando a maioria elogiava a limpeza da cidade, mas muitos bairros surgiram e é nítido que a prefeitura não dá conta e o resultado é o que se vê. Ruas, praças, jardins, escadarias e imóveis públicos acumulando problemas.



Poucos funcionários fazem o que podem, mas a demanda de serviços é grande.
(Foto: Assessoria de Imprensa da PML)

Dias atrás, eu e meu vizinho Edinho, demos uma geral na praça do nosso bairro, a Cohab Velha. Não foi a limpeza ideal, mas uma pequena capina e poda de galhos velhos melhorou o aspecto de abandono. Não foi a primeira vez. A verdade é que eu e outros moradores já tínhamos feito outras limpezas. Desde 2006 quando foi construída (e não inaugurada). Poucas foram as vezes em que a prefeitura deu a atenção devida ao logradouro.  Até as árvores lá existentes foram plantadas por voluntários. Ali nescessita não só de limpeza, mas de reforma, aí já responsabilidade da Secretaria de obras.

Este cenário que se repete em quase todo o município, poderia ser diferente se fosse experimentado um novo sistema que na verdade não tem nada de novo e é utilizado em outras cidades. Por que não manter um funcionário por região ou bairro, dependendo do tamanho deste, para que funcione como um zelador, talvez uma parceria com associações de bairros ativas. Serviços como capina, jardinagem, pintura ou consertos de bancos, placas e outros do tipo ficariam sob sua responsabilidade e este também acionaria órgãos responsáveis quando constatasse, por exemplo, um vazamento de água, um poste com luminária apagada, um buraco numa rua ou um animal morto. Os abacaxis não se acumulariam. Acho que dá pra fazer!


Em dezembro de 2021 a Câmara Municipal aprovou emendas impositivas de autoria do vereador Carlos André no valor de R$6.500,00 cada para reformas das praças Carlos Luz Meneghite e Aurélia Gonçalves de Assis, mas passados cinco meses nada foi feito.     
(Foto: João Gabriel Baía Meneghite - Arquivo)
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »