06/10/2014 às 18h46min - Atualizada em 06/10/2014 às 18h46min

Filme sobre Zé do Pedal vence festival de cinema

O filme “Zé do Pedal, As Fronteiras do Mundo” foi o grande vencedor do Rocky Spirit Film Festival, o maior festival de cinema ao ar livre do Brasil.

Dirigido pelos cineastas Bruno Lima e Fabricio Menicucci, o filme retrata um pouco do estilo de vida e motivações do inusitado ativista social José Geraldo de Souza Castro, Zé do Pedal, 57.

O Rocky Spirit Film Festival foi realizado em duas etapas, a primeira no parque Ibirapuera, São Paulo, nos dias 30 e 31 de agosto e na praia de Ipanema, Rio de Janeiro, nos dias 20 e 21 de setembro, recebendo mais de dez mil pessoas nos quatro dias do evento.

O Festival, uma iniciativa da editora Rocky Mountain, que publica as revistas Go Outside e Hardcore, tem o propósito de inspirar o público apresentando documentários que retratam expedições e atletas admiráveis; culturas e iniciativas que precisam ser conhecidas; ambientes que necessitam ser protegidos e idéias que merecem ser compartilhadas.

Durante o festival, após a exibição do filme "As Fronteiras do Mundo" Zé do Pedal participou de um bate-papo com o público presente.

 

Mais Festivais

Vencedor de dois festivais (o primeiro foi o 2º Festival de Cinema de Visconde do Rio Branco Geraldo Santos Pereira) no próximo primeiro de novembro, o filme estará participando de mais dois festivais. O primeiro na praia de Botafogo, Rio de Janeiro: o Rio Mountain Festival e o FATU (FESTIVAL BRASILEIRO DE FILMES DE AVENTURA, TURISMO E SUSTENTABILIDADE)

No Rio Mountain Festival será dia 01 de novembro em Botafogo, Rio de Janeiro e o FATU de 6 a 9 de Novembro na Estância Turística de Joanópolis, São Paulo. As exibições serão na Casa da Cultura, que opera o Cine Santa Rita, na esquina da Praça Central Padre Domingos Segurado.

Se depender dos diretores, a carreira em festivais nacionais e internacionais será longa. “O Zé é um aventureiro universal e o filme comunica muito bem isso. Nos preparamos para uma carreira internacional, temos legendas em inglês, espanhol e francês, além de uma boa narrativa e um ótimo personagem. Podemos exibir esse documentário em todo o mundo.” Afirma Bruno Lima.

Durante 2 semanas, Bruno e Fabricio acompanharam Zé do Pedal e registraram um pouco do cotidiano da aventura em que Zé do Pedal atravessou o continente africano em um kart a pedal. Na viagem Zé do Pedal percorreu 17 mil km, saindo de Paris em maio de 2008 e chegando a Johanesburgo próximo a abertura da copa do mundo, em junho de 2010. Durante a viagem Zé do Pedal divulgou uma campanha de conscientização sobre duas das principais causas de cegueira evitável: Catarata e Glaucoma, mostrando à sociedade internacional o quanto as crianças de países mais pobres estão exposta à essas doenças. “O que mais nos intrigou foi a maneira como ele consegue viajar. Não há um grande patrocinador, nem produção ou planejamento logístico a longo prazo.

Tudo é conseguido na hora e ele não sabe o que vai acontecer no dia seguinte. Foi uma grande experiência cinematográfica que trouxe aprendizados para minha vida. Ele é um verdadeiro aventureiro”. É o que conta Bruno Lima, que também produziu e fez a fotografia do filme junto a Fabricio.

Fabricio Menicucci, que é nascido em Viçosa, conhece Zé do Pedal desde 2006. “Sempre admirei o Zé, e fazer esse filme também foi uma aventura. Não é fácil fazer cinema de baixo orçamento, e utilizamos a mesma filosofia dele, contando com pequenos apoios e muita colaboração de amigos”.

A realização do projeto do documentário foi da produtora carioca Abbas Filmes junto a CineMauro Filmes, e o projeto teve patrocínio da Berg Toys e apoio da Pró Bike, Number One Viçosa e UFV

Zé do Pedal, membro do Lions Clube de Viçosa, atualmente percorre o Brasil caminhando e empurrando uma cadeira de rodas desde Caburaí – Roraima, extremo Norte do país, até o Chuí - Rio Grande do Sul, em seu projeto "Extremas Fronteiras Barreiras Extremas", chamando atenção para um dos maiores problemas que afeta a pessoa com deficiência: as barreiras arquitetônicas nas cidades brasileiras, havendo caminhado, até o momento, 5.000kms, de um total de 10.700kms.

Mais informações sobre a aventura de Zé do Pedal - www.zedopedal.com.br

Mais informações sobre o documentário - www.zedopedalofilme.blogspot.com

Mais informações sobre o resultado do Festival – http://gooutside.uol.com.br/3379-os-donos-da-festa-

As viagens, e os projetos sociais, do Zé do Pedal.

- De bicicleta até a Copa do Mundo (1981/1982) - Saindo do Rio de Janeiro, ele atravessou a América do Sul, Central e do Norte, voou até a Inglaterra e foi pedalando pela Europa até a Espanha. Minutos antes da chegada dos jogadores para a Copa de 1982, chegou de bicicleta em frente à concentração da seleção brasileira. Este fato chamou a atenção de jornalistas do mundo inteiro, fazendo-o ganhar notoriedade no Brasil. Foi neste momento que ele recebeu o apelido de Zé do Pedal.

- Volta ao mundo de bicicleta (1983/1986) - Logo que retornou da Espanha, decidiu dar a volta ao mundo de bicicleta. Nesta viagem, divulgou uma campanha de Combate ao Câncer nos 54 países pelos quais pedalou. O fim da aventura se deu no México, onde novamente assistiu a uma copa do mundo de futebol.

Japão em um velocípede (1985) - Durante a “Volta ao Mundo”, cruzou o País do Sol Nascente em um velocípede infantil, enquanto chamava a atenção da mídia para a condição das crianças na Etiópia.

- De Chuí a Brasília em um velocípede (1987) - Após conhecer o mundo, Zé decidiu viajar pelo Brasil. Optou, novamente, pelo velocípede, ecruzou o Brasil para chamar a atenção dos parlamentares constituintes para as condições sub-humanas das crianças do nordeste.

- América do Sul em uma motocicleta (1996) - Em uma motocicleta, percorreu 8 países da América do Sul: Equador, Peru, Chile, Argentina,Uruguai, Brasil, Paraguai e Bolívia. A viagem foi uma comemoração do seu vice-campeonato de motociclismo no Equador.

- Pedalando no Velho Chico (2002) - Viajou por todo o Rio São Francisco, em um barco tipo pedalinho, de Três Marias (MG) até o Pontal do Peba (AL). Nesta viagem, procurou chamar a atenção do país para a poluição do Rio São Francisco.

- Da Liberdade ao Cristo (2004/2005) - Saindo da estátua da liberdade, em Nova Iorque, Zé tinha o objetivo de chegar ao Rio de Janeiro,percorrendo a costa litorânea das Américas em um barco a pedal. Nesta aventura, buscava alertar a comunidade internacional para a poluição das águas do planeta. Entretanto, na cidade de Dzilam de Bravo, no México, 18 meses depois da partida, sua embarcação sofreu danosirreparáveis ao enfrentar o furacão Rita, impedindo o término da viagem. Dos 23 mil quilômetros programados, pedalou cerca de 10 mil.

- Zé do Pedal 50 anos (2007) - Na comemoração de seus 50 anos, construiu uma embarcação a pedal feita com garrafas pet, um quadro debicicleta encontrado em um lixão e algumas barras de aço. Com ela, realizou uma inusitada travessia da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, para chamar a atenção para a poluição das águas e a importância do Protocolo de Kyoto.

- Extreme World (2008/2010) - Em um kart a pedal, viajou da França até a África do Sul. Nesta aventura, de cerca de 17 mil quilômetros,divulgou uma campanha internacional de combate ao Glaucoma e à Catarata em países pobres.

- Projeto atual: “Extremas Fronteiras, Barreiras Extremas” - Cruzada pela Acessibilidade – É uma caminhada, de 10.700km, dando 15 milhões de passos, empurrando uma cadeira de rodas, saindo de Uiramutã, (RR) fronteira norte com a Venezuela, até Chui (RS). Visitando 327 cidades de 20 estados, visando conscientizar o povo brasileiro sobre um dos principais problemas que afetam às pessoas com deficiência: as barreiras arquitetônicas.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »