07/10/2014 às 08h06min - Atualizada em 07/10/2014 às 08h06min

Arroba do boi gordo deve valorizar ainda mais

Alta do dólar contribui nas exportações, mas pode prejudicar as vendas no mercado interno.

Arroba do boi gordo deve valorizar ainda mais no último trimestre de 2014.

O momento é bom para a pecuária brasileira e a expectativa é que a arroba tenha ainda mais valorização no último trimestre do ano, e o dólar contribua com o aumento das exportações. Por outro lado, segundo a Scot Consultoria, a inflação pode prejudicar as vendas no mercado interno.

Especialistas dizem que o mercado nos próximos meses será promissor e vantajoso. Em dezembro, período onde a demanda é maior, o preço da arroba do boi gordo deve chegar a R$ 134. A escassez do bezerro no mercado, por causa do aumento do abate de fêmeas nos últimos anos, mantém a alta dos produtos de origem animal.

–Hoje temos gente grande dificuldade de repassar para o consumidor a alta que vem da fazenda. O boi gordo subiu em torno de 20% a 22% na fazenda. No frigorífico subiu em torno de 18% a 15%. Na conta final, subiu em torno de 10% em alguns momentos. Isso mostra que os varejos não são capazes de repassar isso para o consumidor, o poder de compra da população não permite que isso ocorra e acaba limitado – salienta o consultor da Scot, Alex Lopes.

Em 2013, as fêmeas representaram 42% dos abates sob inspeção o que resultou em um cenário de oferta restrita em todas as categorias. O bezerro nelore, por exemplo, teve alta de 26% considerando a média de janeiro a agosto de 2014.

–O mercado tende a voltar ao equilíbrio em um ou dois anos, mas nós temos ainda 2014, 2015 e 2016 com um mercado firme para o boi gordo. O problema de desabastecimento da população é um perigo que não existe – afirma o presidente da Scot, Alcides de Moura Torres.

Segundo os especialistas, a valorização do dólar nas últimas semanas contribuiu para o aumento das exportações, mas pode comprometer ainda mais o poder de compra do consumidor interno.

–Isso pode aumentar a taxa de inflação que a gente tem hoje no Brasil, que já trabalha no teto da meta. Temos um cenário muito complicado na economia e isso tem que ser levado em conta, pois está limitando a valorização do mercado – diz Lopes.

A valorização da arroba do boi gordo permite ao pecuarista investir em ferramentas que vão aumentar a produção. Segundo o consultor Rafael Ribeiro, hoje, a relação de troca entre fertilizantes e produtos de origem animal é extremamente interessante.

–Hoje essa relação média considerando a ureia, o super simples e o cloreto de potássio, no caso da pecuária de corte, está 20% melhor em relação ao ano passado, ou seja, precisamos de 20% menos de arroba para comprar a mesma quantidade de fertilizante – conclui.

 Fonte: Canal Rural.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »