21/10/2014 às 20h44min - Atualizada em 21/10/2014 às 20h44min

Homens têm mais medo da impotência, do que da violência

Enquanto 56% dos cariocas e dos gaúchos têm mais medo da impotência, para os homens de Salvador o pior é ser traído (42%).

O homem precisa ter consciência de que exames como o de toque não vão fazer com que ele perca a virilidade.

O homem brasileiro tem mais medo de ficar impotente do que ser traído pela mulher ou mesmo de perder o emprego, revela pesquisa patrocinada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). A sondagem ouviu 3.500 homens com mais de 40 anos, em sete cidades do País.

Dos entrevistados, 28% responderam que o maior receio era ficar impotente. Para 25%, ser traído é o principal temor. O mesmo percentual se aplicou ao item perder o emprego, enquanto, para 18%, a maior aflição se relaciona ao medo de sofrer um assalto.

Mas nem todos pensam igual. Enquanto 56% dos cariocas e dos gaúchos têm mais medo da impotência, para os homens de Salvador o pior é ser traído (42%).

-Ainda hoje existe muito preconceito. Muitas vezes, o machismo impede o cuidado com a própria saúde. O homem precisa ter consciência de que exames como o de toque não vão fazer com que ele perca a virilidade — afirmou o urologista urologista Sergio Iankowisk *.

51% não vão ao médico

Apesar do risco de impotência rondar a maioria dos entrevistados, 51% não vão ao médico urologista ou ao cardiologista. E 14% passaram por uma consulta há mais de um ano, enquanto 6% estiveram em um consultório há mais de dois anos.

Dos problemas de saúde que mais preocupam, a falta de ereção (16%) só perde para o câncer (20%). O infarto (14%) e o derrame cerebral (10%) também foram citados por eles. A calvície preocupa tanto quanto a obesidade e diabetes, com apenas 4% cada.

A pesquisa da SBU mostrou a falta de conhecimento masculino sobre os sintomas da andropausa (83%), caracterizada pela queda dos níveis de testosterona no organismo e que, em geral, se manifesta na forma de irritação, cansaço e diminuição da libido.

(*) Dr. Sérgio Iankowski - Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS);- possui pós-graduações em Infertilidade - pela Fundação Universitária de Fertilidade e Endocrinologia (FUEFE) e pela Fundação Puigvert, Barcelona, Espanha - e em Sexualidade Humana pela Universidade Tuiuti do Paraná;- integra a Internacional Society for Sexual and Impotence Research (ISSIR), a Sociedade Brasileira de Andrologia (SBA) e a Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana (SBRASH); - autor do livro Ereção e Falha, Falhou Por quê?; - dirige o Instituto de Infertilidade e Andrologia, desde 1983.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »