16/05/2024 às 09h25min - Atualizada em 16/05/2024 às 09h25min

Dificuldade para estacionar no centro de Leopoldina é antiga e sem solução à vista

Luiz Otávio Meneghite
A matéria publicada na Gazeta em 1978 e o prefeito Pedro Augusto em entrevista ao radialista Arnaldo Spíndola. (Jornal gentilmente doado por Chiquinho Gama ao jornal Leopoldinense - Reprodução Facebook Pedro Augusto)
Uma matéria publicada na Gazeta de Leopoldina, sob a direção do jornalista Washington Duarte Andries, revela que o caos no trânsito no centro da cidade, não é recente e há 46 anos foi assunto de primeira página da edição nº 291, de sábado, 13 de maio de 1978, com o título ‘Trânsito perigoso na Rua Presidente Carlos Luz’.
 
Dizia o texto: “Em virtude do estacionamento em ambos os lados da rua, a Presidente Carlos Luz tornou-se perigosa para o transeunte. E além de perigosa, traz, diariamente, inúmeros embaraços à circulação de veículos. Caminhões, no trabalho de carga  descarga , estacionam nos dois lados da rua. Impedem, assim, a passagem de qualquer outro veículo.  Nesse trabalho de carga  e descarga permanecem longos minutos,  provocando demorado engarrafamento. Motoristas irritam-se e usam a buzina insistentemente. Pedestres reclamam  contra o barulho. E quando os caminhões resolvem dar passagem,  os automóveis, sob  o impulso da irritação de seus motoristas, arrancam violentamente. E sai da frente quem puder”.
 
Na sequência a matéria revela que “...a Rua Presidente Carlos Luz tem a mesma largura da Rua Cotegipe. Nesta rua, no entanto, o estacionamento faz-se apenas em um lado e em dois ou três trechos há vagas para carga e descarga. Não se compreende, pois, a discriminação contra a Rua Presidente Carlos Luz, que é paralela à Cotegipe e como  essa, também comercial e residencial”, pontuou o saudoso jornalista.
 
Passados 46 anos a situação ainda é dramática no trânsito de Leopoldina
 
Em dezenas de oportunidades, o Jornal Leopoldinense, durante 20 anos de existência na versão impressa e há 14 anos na versão online vem publicando matérias sobre o problema que se agrava a cada dia com a permissão de estacionamento nos dois lados da Cotegipe e da Carlos Luz com a criação de privilégios para carga e descarga, viaturas oficiais e, pasmem, até placas anunciando garagens que não existem.

É comum veículos estacionados em ponto de ônibus (Foto: Luciano Baía Meneghite-Arquivo)
 
A opinião do Prefeito Pedro Augusto registrada pelo Jornal Leopoldinense
 
Na campanha eleitoral de 2020, em entrevista exclusiva ao Jornal Leopoldinense, o atual prefeito assim se manifestou sobre o trânsito no centro da cidade: Sou totalmente a favor da implantação do sistema rotativo, e vou um pouco além. Leopoldina é uma cidade desprovida de qualquer planejamento, seja ele de trânsito ou de sinalização. Uma pessoa de fora da cidade, por exemplo, tem dificuldades de estacionar em nosso município. Não há placas indicativas de localização de bairros, nem mesmo de local onde os prédios da prefeitura e do Fórum estão situados. Precisamos cuidar da cidade também neste sentido, para que as pessoas possam ter o mínimo de informações a respeito daqui”.
 
Entrevista do Prefeito Pedro Augusto à Rádio Jornal
 
O prefeito Pedro Augusto Junqueira Ferraz revelou durante entrevista ao radialista Arnaldo Spindola, no programa Roda Viva, levado ao ar no dia 14 de maio de 2022, pela Rádio Jornal AM, que enviaria à Câmara Municipal de Leopoldina um projeto de lei prevendo a municipalização do trânsito de Leopoldina com a adoção do estacionamento rotativo na região central da cidade.  Na mesma entrevista ele revelou a criação de  uma guarda municipal uniformizada para administrar o trânsito e proteger o Patrimônio Municipal. Segundo o prefeito a guarda municipal será autossuficiente e mantida com os recursos provenientes de multas e do estacionamento rotativo. Informado pelo radialista que o estacionamento rotativo já havia sido aprovado pelo Poder Legislativo em outra ocasião, o chefe do Poder Executivo disse que o novo  projeto seria mais moderno.
 
A opinião do Jornal Leopoldinense
 
Temos que reconhecer que quanto à sinalização mencionada pelo prefeito houve uma evolução, mas, ainda falta muito o que fazer,  principalmente no centro de Leopoldina. Como estamos em ano eleitoral, não acreditamos que o estacionamento rotativo possa ser implantado, por um motivo muito simples: tira votos.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »