27/10/2014 às 08h23min - Atualizada em 27/10/2014 às 08h23min

Leopoldinense acredita que própolis pode ser eficaz no combate ao vírus Ebola

Para Gilvan Barbosa Gama, muito mais que conhecimento e espírito cientifico é preciso desprendimento e coragem.

Para Gilvan Barbosa Gama, muito mais que conhecimento e espírito cientifico é preciso desprendimento e coragem.

O apiterapeuta holístico leopoldinense, radicado em Piúma, no Espírito Santo, Gilvan Barbosa Gama, enviou e-mail à redação do Jornal Leopoldinense Online, sugerindo a utilização do extrato de própolis das abelhas no tratamento das pessoas infectadas com o vírus Ebola. Acompanhem o seu texto:

 

“Vou arriscar o meu pescoço com mais  uma informação que só terá crédito científico daqui a algum tempo,isso se houver algum infectologista lente e catedrático, respeitável no meio científico, que tenha coragem o bastante para fazer um ensaio terapeutico com o extrato de própolis das abelhas  concentrado a 45% em relação ao vírus Ebola. Tal teste poderia ser "in vitro"para posteriormente ser usado em primatas e finalmente em humanos. Não tenho receio em  afirmar que aos primeiros sintomas do vírus Ebola,
tudo aquilo de que o portador da doença precisa é de um antiviral de terceira geração potentíssimo e que seja também um hemostático sistêmico anti alérgico que não venha causar efeitos colaterais tóxicos.O hemostático tem que ser também ao mesmo tempo um cumulador de plaquetas. Se os nossos infectologistas fizerem um ensaio clínico
com o extrato de própolis concentrado a 45%, terão a grata  surpresa do século em relação ao Ebola. A dosagem aconselhável para o vírus é a mesma empregue para o protozoário da malária e para o vírus da dengue e da febre Chycungunya.Este extrato deverá ser ausente de alcool de cereais.A dosagem a ser seguida deverá ser de: 7.5 ml. no primeiro pico febril e repetir esta mesma dosagem mais três vezes a cada 02 horas até que 30ml. do extrato tenham sido ingeridos. As doses deverão ser diluídas e ingeridas em água de côco.Se os sintomas da febre hemorrágica persistirem, prolongar esse tratamento a cada duas horas por mais 16 horas perfazendo a ingestão total de 90ml. Do extrato diluído em água de coco. Cumpre lembrar ainda que o extrato de
própolis é atóxico e não existe over- dose do mesmo.A dosagem que aconselho é para pessoas acima de 12 anos. Poderão me chamar de louco e até de charlatão,pouco me importo, mas que outra medicação existe contra o vírus Ebola? Me apresentem por
favor que eu me calo. Eu creio  no poder dos apiterápicos. Acreditem  que se eu estivesse na África e contraísse esse vírus maldito,eu  não pensaria duas vezes nem hesitaria  em fazer o uso do extrato de própolis  para me salvar, com muitas  chances de sobreviver ao vírus. Já consegui provar os efeitos benéficos da própolis tanto para a
malária quanto para a dengue. Que tal se esta substância produzida pelas abelhas mostrasse também seus efeitos benéficos contra esta besta apocalíptica que anda tirando o sono da humanidade e apavorando o mundo!  Sem nenhuma pretensão ou imodéstia!!, Dá  para pensar que a solução de um problema sanitário  mundial poderia partir de uma
minúscula cidade do Espírito Santo, descoberta feita  por um apiterapeuta holístico? Para mim isso vale mais que todo o ouro desse mundo
”.


Gilvan Barbosa Gama
Piúma-ES
E-mail é:
11navilig@gmail.com
Tel (28) 35201211

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »