29/10/2014 às 11h50min - Atualizada em 29/10/2014 às 11h50min

Pesquisa desenvolvida no IF Sudeste MG é destaque em Congresso

Projeto estudou a possibilidade de eliminar contaminação de produtos em estoque

IF Sudeste Campus Rio Pomba MG

Pesquisa sobre embalagens que retardam ou eliminam a contaminação dos alimentos em estoque, desenvolvido no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas (IF Sudeste MG) – Campus Rio Pomba, foi considerada uma das melhores apresentadas no XXIV Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos, realizado em Aracaju (SE), no final de setembro. O projeto, elaborado pelo coordenador do curso Técnico em Alimentos, Cleuber Antônio de Sá Silva, e pela aluna do Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Daniela Cristina Faria Vieira, conquistou o segundo lugar na classificação geral do Congresso, recebendo a medalha Leopoldo Hartman e premiação em dinheiro. “Foi uma surpresa boa quando recebi a informação de que meu projeto foi considerado um dos melhores. Além de ser um reconhecimento dos profissionais que trabalham com pesquisa, ainda serve como exemplo para os alunos”, analisou Cleuber.

A intenção do trabalho foi pesquisar se a adição de determinadas substâncias nos plásticos utilizados para embalagens poderia evitar que o alimento fosse contaminado enquanto estivesse em estoque. “Para garantir uma longa vida de prateleira e tornar o alimento mais seguro pela diminuição da ação de micro-organismos alteradores e patogênicos, alguns estudos citam o uso de agentes antimicrobianos sintéticos, procedimento que contraria alguns consumidores. Uma das alternativas para não adicionar agentes antimicrobianos diretamente no produto é o uso de embalagens ativas”, justificam os autores no projeto.

Para tanto, foram realizados testes in vitro nos quais adicionaram aos filmes lactato de sódio e aroma de fumaça para evitar o desenvolvimento da bactéria Listeria innocua; triclosan e aroma de fumaça contra as Pseudomonas fluorescens. O primeiro experimento mostrou que ainda houve desenvolvimento da bactéria. Já no segundo, o microrganismo contaminador não foi identificado, mostrando a eficiência da adição dos produtos à embalagem.

O projeto apresentado em Sergipe demonstrou apenas a primeira parte da pesquisa. Em uma segunda etapa, os aditivos foram testados na embalagem de filé de tilápia congelado, também obtendo resultados positivos.

Esta não foi a única participação do Câmpus Rio Pomba no Congresso. A instituição enviou comitiva com cerca de 30 integrantes, entre professores e alunos dos cursos superiores e de pós-graduação. Foram apresentados 29 pôsteres e três trabalhos orais. Os congressistas tiveram, além de apoio financeiro da unidade, aprovação pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) de proposta de participação coletiva em eventos.

O IF Sudeste MG – Câmpus Rio Pomba é destaque na área de Alimentos. Atualmente são oferecidos cursos técnico, superior e mestrado. Na edição 2015 do Guia do Estudante, publicado este mês, a graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos figura entre as melhores do Brasil.

Fonte: Lidiane Aparecida Silva de Souza


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »