31/10/2014 às 08h56min - Atualizada em 31/10/2014 às 08h56min

Caixinha eleitoral beneficiou campanha de 125 parlamentares

Mais de 360 assessores doaram R$ 1,38 milhão para a campanha de deputados e senadores, revela a Revista Congresso em Foco.

Em 26 casos, as contribuições superaram a quantia de R$ 10 mil, muitas delas em valor acima do salário do servidor.

Reportagem de capa da nova edição da Revista Congresso em Foco revela que mais de 360 assessores doaram para a campanha eleitoral de 125 parlamentares para os quais trabalham. Eles reforçaram, com quase R$ 1,4 milhão, o caixa de deputados e senadores com contribuições em dinheiro ou prestaram serviços de graça, contabilizados como doações em valores estimados.

Em 26 casos, as contribuições superaram a quantia de R$ 10 mil, muitas delas em valor acima do salário do servidor. Há doações de até R$ 43 mil. Quarenta e um senadores receberam mais de R$ 10 mil de seus assessores. Sete deles tiveram um reforço de caixa superior a R$ 30 mil. Alguns dos doadores tiveram alterações salariais nos meses anteriores às eleições. Há, por exemplo, funcionário que doou para o chefe logo após entrar na folha de pagamento.

O partido que mais recorreu à caixinha foi o PT. Dos 88 deputados petistas, 44 receberam a ajuda do gabinete. Juntos, assessores petistas repassaram R$ 498.767 para a campanha de seus respectivos chefes. No Senado, o campeão em arrecadação entre funcionários foi o tucano Mário Couto (PSDB), que recebeu R$ 71 mil. Na Câmara, esse título ficou com o deputado Rubens Otoni (PT-GO), que arrecadou R$ 73 mil. Isso representa um quarto do total arrecadado por ele até o segundo relatório do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Leia mais sobre o assunto no site Congresso em Foco e a íntegra da reportagem na Revista Congresso em Foco.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »