02/11/2014 às 08h00min - Atualizada em 02/11/2014 às 08h00min

Fragmentos da História será lançado dia 8 de novembro

O livro foi escrito por Natania Nogueira com a colaboração dos alunos do Colégio Imaculada Conceição, a partir de uma pesquisa realizada no jornal O Leopoldinense

O Livro ‘Fragmentos da História’ escrito pela professora, pesquisadora e historiadora Natania Nogueira, em parceria com os alunos do oitavo ano do Colégio Imaculada Conceição revela a partir de pequenos fragmentos retirados do jornal "O Leopoldinense", no ano de 1881, parte da história de Leopoldina. O seu lançamento ocorrerá no dia 08 de novembro, no Museu Espaço dos Anjos, a partir das 19:00 horas.

O livro foi escrito com a colaboração dos alunos do oitavo ano do Colégio Imaculada Conceição, a partir de uma pesquisa realizada no jornal O Leopoldinense, publicado em Leopoldina no final do século XIX.

Segundo a pesquisadora Natania Nogueira em seu Blog “Ele é o primeiro de três volumes. Os demais estão ainda em processo de produção. A ideia de trabalhar com fragmentos de jornais nasceu no blog Brasil: História e Ensino, quando comecei a escrever pequenos textos a partir de notícias que encontrava em jornais leopoldinenses (algo que já há algum tempo a pesquisadora Nilza Cantoni já faz no seu respectivo blog). Satisfeita com o resultado resolvi levar a experiência para a sala de aula, aproveitando-me dos recursos disponíveis na escola (sala de informática) e do fato dos meus alunos terem acesso a internet.Esse primeiro livro utilizou, como já foi dito, o jornal  "O Leopoldinense", especificamente o ano de 1881 e contou com 21 pequenos textos escritos por alunos do oitavo ano. O próximo, ainda em processo de edição, usa o jornal "Minas Geraes", com publicações da década de 1890. O terceiro volume, que começou a ser trabalhado esta semana, tem como objeto o jornal "O Pharol", publicado em Juiz de Fora, com notícias veiculadas entre os anos de 1900 a 1926. Embora esse primeiro volume tenha notícias diretamente relacionadas a Leopoldina, a pesquisa em si possibilita a aproximação da história local com a história geral. Nos outros volumes, estamos ampliando nosso campo de investigação para outras cidades e até outros Estados, embora o município de Leopoldina esteja sendo constantemente referenciado. 

Um presente para a comunidade. 

Em seu Blog, Natania Nogueira revela que o livro será distribuído gratuitamente (800 exemplares, aproximadamente) para os alunos do Fundamental II e Ensino Médio do Colégio Imaculada Conceição e para todas as bibliotecas escolares da cidade de Leopoldina que tiverem interesse em adquiri-lo.

“Isso foi possível graças ao patrocínio que recebemos da Academia Leopoldinense de Letras, do Colégio Imaculada e de membros da nossa comunidade, como o vereador Oldemar Montenari, o jornalista Luiz Otavio Meneghite e a pesquisadora Nilza Cantoni. Nosso agradecimento especial a Cristiano Fófano, que fez a arte da capa e que sempre apoia nossas iniciativas. No entanto, como não conseguirmos ainda atingir a cota total de patrocínios estaremos disponibilizando para venda, a quem se interessar, 70 exemplares do livro no valor de R$10,00  cada. Os interessados podem efetuar a compra no dia do lançamento ou deixá-lo reservado via e-mail (nogueira.natania@gmail.com). É bom deixar claro que é uma publicação sem fins lucrativos. Quem adquirir um dos 70 exemplares estará possibilitando que uma escola ou um uma biblioteca receba outro gratuitamente” diz Natania.

.
O livro será lançado, também,em versão e-book, até o final do ano. Os outros dois volumes estão programados para lançamento no primeiro semestre de 2015 e também terão sua versão em e-book. 

Análise da obra 

Esse "livrinho", como o denominou modestamente sua organizadora, tem esse precípuo objetivo: revelar a vida de uma cidade, Leopoldina, seu cotidiano e hábitos de consumo, graças aos anúncios de jornal. Mas não só. Ele nos mostra outros retratos: aqueles dos jovens e futuros cientistas que se deixaram levar pelo encanto da pesquisa histórica. Que se debruçaram sobre a bela massa de periódicos brotada na Atenas de Minas Gerais, produzindo a partir daí uma forma de conhecimento, uma interação com o passado. Também vemos aí suas verdes biografias: quem são, onde nasceram e estudaram. Um ou outro demonstrando sensibilidade maior para a interpretação dos documentos, e, em todos eles, a marca do trabalho bem feito, bem realizado, executado com prazer. Do trabalho coletivo de investigação à interpretação individual dos documentos, os textos autorais demonstram as mediações entre o saber contido nos livros e o saber construído por um grupo motivado. 

Mary del Priore, Historiadora e escritora


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »