12/12/2014 às 08h37min - Atualizada em 12/12/2014 às 08h37min

Brasil Sem Miséria: um novo patamar de proteção social

Livro lançado pelo MDS registra história do plano de superação da extrema pobreza, desde sua construção ao desenvolvimento das iniciativas e os resultados alcançados

Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello.

O maior legado do Brasil Sem Miséria foi a definição de um novo padrão de políticas sociais no país. “O plano criou um novo patamar de proteção social, abaixo do qual não é mais aceitável que nenhum brasileiro viva”, destaca a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello.

A ministra participa nesta quarta-feira (10), em Brasília, do lançamento do livro O Brasil sem miséria. A publicação traz 32 artigos sobre o plano de superação da extrema pobreza que explicam como ele foi elaborado, implantado, monitorado e avaliado, além de apresentar seus resultados.

O Plano Brasil Sem Miséria, lançado em junho de 2011, reúne ações e programas de 22 ministérios com o objetivo de superar a extrema pobreza. Ele foi organizado em três eixos: um de garantia de renda, para alívio imediato da situação de extrema pobreza; outro de acesso a serviços públicos, para melhorar as condições de educação, saú de e cidadania das famílias; e um terceiro de inclusão produtiva, para aumentar as capacidades e as oportunidades de trabalho e geração de renda entre as famílias mais pobres.

“Todas as metas colocadas foram superadas. E algumas delas com ampla folga, ao ponto que tivemos que ampliá-las e novamente superá-las, como a Busca Ativa e o Pronatec Brasil sem Miséria”, conta Tereza Campello. “São resultados decorrentes de um esforço brutal por parte de todos os envolvidos no plano. Foi necessário reinventar o Estado, para que as políticas públicas realmente chegassem à parcela da população pobre e extremamente pobre, aos mais miseráveis. Fizemos diferente e com maior foco”, afirma.

O livro registra esta história e as estratégias que fizeram com que as políticas sociais alcançassem os mais excluídos. “Os resultados são consequência de decisão política firme, com prioridade absoluta da Presidência da República, de excelência em gestão por parte das equipes técnicas e de mui to suor na execução das políticas, tanto no nível federal quanto nos estados e nos municípios”, diz a ministra.

Tereza Campello também ressalta a importância da definição das ações e programas que compõem o plano. “Trabalhamos com ações de curto prazo e grande escala, que garantiram uma vida melhor para milhões de brasileiros.” Segundo a ministra, o Brasil Sem Miséria é uma estratégia consolidada, que rendeu frutos importantes e trouxe bagagem para que o governo possa direcionar suas ações daqui para frente. “O nosso desafio agora é chegar aos mais miseráveis, à população mais vulnerável. Assim, precisamos realizar ações mais específicas, que atendam à realidade desses grupos.”

A obra foi organizada pela ministra Tereza Campello, pelo secretário extraordinário para Superação da Extrema Pobreza do MDS, Tiago Falcão, e pela secretária adjunta para Superação da Extrema Pobreza do MDS, Patricia Vieira da Costa. “Organizamos este livro para evitar que o histórico da constr ução do Plano Brasil sem Miséria se perca”, explica Falcão. Segundo Patricia Vieira, “um segundo motivo foi mostrar a força que a atuação decidida e concertada tem para modificar a realidade”.

O prefácio da publicação é assinado pela presidenta Dilma Rousseff. E os artigos contam com a autoria do representante do Pnud no Brasil, Jorge Chediek, dos ministros José Henrique Paim (Educação), Marcelo Neri (Assuntos Estratégicos) e Gilberto Carvalho (Secretaria Geral), do presidente do Sebrae, Luiz Barretto, do presidente do Ipea, Sergei Soares, entre outros.

Acesse o livro O Brasil sem miséria em http://livro-obrasilsemmiseria.com.br

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »