18/12/2014 às 23h44min - Atualizada em 18/12/2014 às 23h44min

Má alimentação nas festas de final de ano pode causar problemas no estômago

A gordura presente nos alimentos e os excessos sobrecarregam o estômago e dificultam a digestão, gerando sensação de estufamento e dor

O peru assado é uma dica de alimentação sadia.

O final do ano se aproxima e, junto com ele, vêm as ceias de Natal e Ano Novo, além das férias. Neste período, é comum a alimentação ser desregrada e rica em gordura e somada, ainda, ao consumo de bebida alcoólica. O resultado dessa mistura pode ser uma baita indigestão. Para evitar que os excessos causem desconforto e não permitam aproveitar todos os dias de festa, é preciso ter cuidado com a qualidade e quantidade dos alimentos ingeridos.

"Ao longo do ano, as pessoas costumam seguir certa rotina, mas abandonam os hábitos em dezembro e consomem alimentos muito gordurosos e temperados, como o pernil e o tender, e em grande quantidade. Essa mudança brusca é sentida pelo estômago, que é sobrecarregado e não consegue realizar o processo de digestão adequadamente", explica a gastroenterologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Maira Marzinotto.

Os sintomas de que algo não está bem começam pouco tempo depois da refeição. "Em pessoas saudáveis, a consequência dos abusos será uma sensação de estufamento, que deve se normalizar no mesmo dia ou no dia seguinte. Quem tem gastrite, vai sofrer com o desconforto por um período mais prolongado e pode sentir também dor de estômago. O excesso de gordura ainda pode causar gases e diarreia", esclarece.

Para amenizar o problema, a especialista sugere uma caminhada leve. "Se o sintoma não melhorar, é preciso procurar um médico. Não é recomendado ingerir antiácido por conta própria e nem tomar leite para diminuir o desconforto, pois, além de combaterem apenas a queimação, a fermentação dos produtos no estômago pode piorar ainda mais a sensação de estufamento", alerta.

Dica da especialista
O estômago tem capacidade de armazenar cerca de dois litros e meio de comida, mas demora cerca de 20 minutos para enviar ao cérebro o sinal de saciedade. Muitas vezes, o limite já foi ultrapassado antes que a pessoa entendesse que está satisfeita. Por isso, é preciso comer devagar e mastigar bem o alimento.

Sim, por favor

- Aves
- Lombo suíno magro
- Frutas
- Sucos
- Saladas
- Uma taça de vinho ou espumante para brinde

Não, obrigado

- Pernil
- Tender
- Condimentos (alho, cebola e pimenta)
- Cerveja
- Refrigerante

Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo é composta por três modernos hospitais que fazem parte da história da capital paulistana: Pompeia, Santana e Ipiranga. Excelência médica, qualidade diferenciada no atendimento, segurança, humanização e expertise em gestão hospitalar são seus principais pilares de atuação. As Unidades têm capacidade para atendimentos eletivos, de emergência e cirurgias de alta complexidade, como transplantes de medula óssea. Hoje, a Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo presta atendimento em mais de 60 especialidades, oferece ao todo 682 leitos e um quadro clínico de mais de 4 mil médicos qualificados. Seus hospitais possuem importantes acreditações internacionais, como a da Joint Commission International (JCI ), renomada acreditadora dos Estados Unidos reconhecida mundialmente no setor, a Acreditação Internacional Canadense e a da ONA (Organização Nacional de Acreditação). A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo faz parte da Sociedade Beneficente São Camilo, uma das entidades que compreende a Ordem dos Ministros dos Enfermos (Camilianos), uma entidade religiosa presente em mais de 30 países, fundada pelo italiano Camilo de Lellis, há mais de 400 anos. No Brasil, desde 1928, a Rede conta com expertise e a tradição em saúde e gestão hospitalar da Ordem global.

Fonte: Ariane Salles e Juliana Fernandes-Ketchum Agência de Comunicação


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »