23/12/2014 às 13h44min - Atualizada em 23/12/2014 às 13h44min

Remédio em casa atende pacientes com problemas de mobilidade

O Programa Remédio em Casa consiste na entrega de medicamentos da Farmácia Municipal para pacientes acamados ou com dificuldades de locomoção.

Enfermeira Luana, do Bandeirantes e Mirtes (Filha d. Maria) recebendo os medicamentos do motociclista Dênio.

Quando o motociclista parou em frente ao seu portão para entregar os medicamentos, que ela toma todos os dias, a dona de casa Lúcia Maria Nunes, 67 anos, abriu um largo sorriso, assim como a filha de dona Maria Silva de Aguiar Nicácio, 88 anos.  Elas são beneficiárias do Programa Remédio em Casa, lançado pela Prefeitura de Leopoldina. Para essas pessoas, não depender de mais ninguém para receber seus medicamentos é mais uma conquista de independência.

 

D. Maria e D. Lúcia são beneficiárias do Programa Remédio em Casa

O Programa Remédio em Casa, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde, consiste na entrega de medicamentos da Farmácia Municipal para pacientes acamados ou com dificuldade de locomoção. O objetivo principal é garantir o acesso efetivo aos medicamentos pertencentes à lista de medicamentos essenciais, incentivar os pacientes a manterem suas doenças controladas e em constante acompanhamento médico, e organizar o atendimento contínuo aos portadores de doenças crônicas.

Os pacientes beneficiados foram cadastrados e através de receituário do médico da equipe saúde da família receberão a medicação em sua residência. As consultas de retorno são pré-agendadas para controle. Após, haverá um retorno domiciliar do médico, com reavaliação e novas prescrições se for o caso.

O paciente recebe o remédio em sua casa, sem nenhum custo, não sendo necessário se deslocar até a Farmácia Municipal e aguardar para retirada deste. Considerando que estes pacientes têm dificuldade de locomoção, serão poupados, assim como os familiares que já exercem as atividades de cuidadores destes pacientes. Outro ganho é a assistência programada e assegurada pela equipe farmacêutica, assim como o acompanhamento a cada quatro meses com consulta médica garantida para controle ou quando se fizer necessário, explica Josete Amadeu – referência em Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde.

O Remédio em Casa foi abraçado pelo prefeito José Roberto desde sua elaboração. O que começou em 2014 como projeto piloto nas áreas de abrangência das equipes de saúde da família Bandeirantes, Bela Vista II e Pirineus, no ano de 2015, após os ajustes necessários, será implantado em todas as equipes e até o final do ano que vem chegando, esperamos estar cobrindo toda a cidade, completa Lucia Gama, secretária municipal de saúde.

È bom se frisar que sem a dedicação e sinalização dos profissionais das equipes de saúde da família, os benefícios do programa, jamais estariam sendo usufruídos pelos pacientes e suas famílias. Mais do que a entrega do medicamento, fica nítido no afago do olhar e sorriso dos envolvidos a importância deste vínculo mais estreito com os nossos profissionais de saúde, finaliza o prefeito José Roberto.

Espero que o programa continue todo mês, se Deus quiser. Porque quem busca o remédio é minha nora e meu filho, já que eu não posso andar e assinar, seja no banco e em todo lugar. Pra ajudar, a porta da casa "tá" aberta. Vou esperar todo mês a medicação. Você pode chegar, pode entrar e até tomar café da manhã”, disse Lúcia Maria Nunes, 67 anos, ao motociclista do Programa Remédio em Casa, Dênio Bastos.

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de Leopoldina. Crédito fotos: Sabrina Franzoni


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »