08/02/2015 às 10h30min - Atualizada em 08/02/2015 às 10h30min

Polícia Rodoviária Federal dá dicas para quem vai viajar no feriado de carnaval

Em todo o Brasil, a Polícia Rodoviária Federal prepara o efetivo para reforçar a fiscalização nos dias de folia

Inspetor Alessandro Castro, chefe da Comunicação Social da PRF no Rio Grande do Sul.

 A PRF (Polícia Rodoviária Federal) intensificará a fiscalização durante o ferido prolongado de carnaval. O efetivo deverá ser reforçado nos trechos mais perigosos entre os dias 13 (sexta-feira) e 18 (quarta-feira) de fevereiro.

No ano passado, 10 mil agentes atuaram na Operação Carnaval. Foram registradas, em BRs de todo o país, 155 mortes e 1,8 mil feridos em 3,2 mil acidentes. O índice de ocorrências caiu 9%, conforme a PRF. A meta, neste ano, é reduzir as estatísticas ainda mais.

Para isso, a prudência dos motoristas é fundamental. Segundo a Polícia Rodoviária, colisões frontais são a principal causa de mortes nas rodovias, associadas a fatores como ultrapassagens proibidas e embriaguez ao volante.

O chefe da Comunicação Social da PRF no Rio Grande do Sul, inspetor Alessandro Castro, falou à Agência CNT de Notícias sobre a atuação dos agentes e os principais cuidados que devem ser adotados pelos condutores antes e durante as viagens de carro.

Quais os principais cuidados que os motoristas devem ter na preparação de uma viagem de carro nesse carnaval?

O primeiro, e indispensável, é a revisão veicular. A pessoa tem que levar o carro a um mecânico para verificar a suspensão, como estão os pneus e a calibragem, o limpador de para-brisa – um item muitas vezes esquecido, mas que, em dias de chuva, é preponderante para a segurança do veículo. Além disso, o motorista tem que ter condições de dirigir o veículo. Ele deve estar preparado, descansado e atento para pegar a estrada.

Quais são as principais causas de acidentes em feriados prolongados como o de carnaval?

O que mais se observa é o cansaço. Tem muitos motoristas que acabam dirigindo por longos períodos e se desgastam com isso, a atenção reduz e a perda do controle acaba acontecendo. Nós temos muitas saídas de pista ou invasão de pista contrária, gerando acidentes gravíssimos.

Muitas vezes, o motorista pode acreditar que está em condições de pegar a estrada, apesar do cansaço. O que a pessoa ou os outros passageiros podem fazer para evitar o risco desse tipo de situação?

O condutor tem que observar suas condições próprias. Se não tem, precisa abrir mão de pegar a estrada num dia e viajar no outro. Uma piscada de olho no volante pode ser fatal. A prudência dos outros passageiros também é fundamental: eles devem estar constantemente atentos ao motorista. Não podem dormir ou manusear o celular, porque suas vidas também estão em jogo. Devem apoiar o motorista e ajudar a mantê-lo acordado. Se o condutor cansar e dormir ao volante, eles também sofrerão as consequências.

Dados da própria PRF apontam que, entre os fatores causadores dos acidentes mais graves nas rodovias federais, estão as ultrapassagens proibidas. Desde novembro de 2014, as multas para esse tipo de infração estão mais caras (passaram de R$ 127,69 para R$ 957,70). A Polícia Rodoviária Federal já percebe uma redução nesse tipo de prática em razão do agravamento da punição?

Ainda é cedo para termos uma mensuração da importância dessa lei. Num primeiro momento podemos dizer que os motoristas estão mais atentos na hora da ultrapassagem. Mas, certamente, é uma mudança de comportamento que precisa estar cada vez mais presente.

A PRF já tem definida a estratégia de atuação nesse carnaval?

Já sim. Os agentes serão deslocados de trechos com menor tráfego para trechos com maior movimentação. Utilizaremos todos os radares fotográficos para coibir o excesso de velocidade e os motoristas com suspeita de ingestão de álcool serão convidados a fazer o teste do bafômetro. Se negarem, serão multados e retirados de circulação. 

 Fonte: Natália Pianegonda-Agência CNT de Notícias


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »