11/03/2015 às 14h20min - Atualizada em 11/03/2015 às 14h20min

Começa a funcionar, em Muriaé, o Banco de Perucas do Hospital do Câncer

Para a confecção das peças, foram realizadas campanhas de arrecadação de recursos e, atualmente, o espaço conta com 62 perucas, já tendo beneficiado 21 pacientes.

Blusas serão vendidas para arrecadação de recursos para confecção das perucas.

“Como é grande o meu amor por mim” – este é o nome do “Banco de Perucas” do Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella, inaugurado na tarde de quinta-feira (05), no auditório da instituição. O projeto, que visa garantir o bem-estar e a autoestima das mulheres em tratamento, irá funcionar no Serviço Social.

O “Banco de Perucas” foi concebido a partir de várias doações de mechas de cabelos por voluntários, que se engajaram na causa e abriram mão de suas madeixas em prol da solidariedade. Para a confecção das peças, foram realizadas campanhas de arrecadação de recursos e, atualmente, o espaço conta com 62 perucas, já tendo beneficiado 21 pacientes.

Durante a cerimônia de inauguração, o diretor do Hospital do Câncer, Sérgio Dias Henriques, agradeceu em nome da instituição a todos que, de alguma forma, contribuíram para que o projeto se tornasse uma realidade: “Esta é uma conquista de todos, colaboradores, voluntários e doadores que se envolveram de coração aberto para ajudar”, frisou.

Uma das responsáveis pelo Banco, Cristiane de Melo, contou como foram dados os passos iniciais para que a ideia entrasse em prática. Ela destacou as primeiras doações de cabelos e a grande repercussão do projeto em Muriaé e na região. “Após as doações iniciais, realizamos campanhas para conseguir recursos para a confecção das perucas. A campanha de arrecadação de mechas já terminou, mas a de verba continua”, completou Cristiane.

Ainda durante o evento, a médica dermatologista do Hospital do Câncer de Muriaé, Clarissa de Abreu, ressaltou a importância do cabelo para a autoestima das mulheres, explicando que, em geral, a queda dos fios configura um choque muito grande para a maioria delas. Também foi apresentado um vídeo mostrando “o antes” e “o depois” de algumas pacientes que já receberam as perucas.

A seguir, a médica oncologista-clínica, Micheline Campos Rezende, deixou uma mensagem, em vídeo, sobre a autoestima: “O cabelo ajuda muito, mas é a alma feliz que nos deixa belas. Precisamos trazer a beleza de dentro para fora, sorrir com os olhos também. O astral da gente faz uma diferença imensa, então, usem as perucas para se inspirarem, mas, se não quiserem, usem as suas carecas como troféu”, pontuou.

A solenidade contou, ainda, com a participação do Coral da Fundação Cristiano Varella e com o depoimento de várias mulheres sobre o “Banco de Perucas”: “Me sinto guerreira, mas sem a peruca eu não saía de casa. Quando perdemos o cabelo, nos sentimos inseguras; é uma sensação muito boa ter cabelo de novo”, revelou a cabeleireira Claudete Rodigeiro Cotta, de Bom Jesus de Itabapoana.

Já a psicóloga Zélia Alfeu Lopes falou sobre a dificuldade de se acostumar com o próprio corpo após a doença e completou: “A mulher já nasce vaidosa, então, levei um choque ao perder os cabelos. Mas eu acho que a vida continua, e as perucas me ajudam a melhorar a autoestima”.

Empréstimo de perucas

Os assistentes sociais, também responsáveis pelo “Banco de Perucas”, Cynthia Costa e Ricardo Melo, explicam que as mulheres interessadas devem procurar a recepção do Ambulatório de Triagem e agendar um atendimento com o Serviço Social. Elas terão direito a um acompanhamento e irão assinar um termo de compromisso de empréstimo e devolução da peça, além de receberem um informativo de como conservá-la: “Quando ela não precisar mais, deverá devolver a peruca na Casa de Apoio, para que a encaminhemos para os devidos cuidados em um salão de beleza. A peça irá retornar para o Banco, para que possa ser novamente emprestada para outras mulheres em tratamento”, esclarecem.

Campanha de arrecadação

Cada peruca tem um custo médio de produção em torno de R$ 150,00 e é produzida artesanalmente. O processo envolve um trabalho manual minucioso, que inclui a escolha de cabelos com texturas e cores parecidas, até a costura do cabelo nas telinhas. Para dar continuidade a este trabalho, continua sendo realizada a campanha de arrecadação de verbas, através da venda de camisetas com a logomarca do “Banco de Perucas”. Elas podem ser adquiridas na Administração e na Cantina do Hospital do Câncer, pelo valor de R$ 30,00 cada.

Fonte: Jornal de Muriaé


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »