12/03/2015 às 14h49min - Atualizada em 12/03/2015 às 14h49min

Ex-diretor do Metrô de SP, citado no caso Alstom, tem nome incluído no Swissleaks

Sua filha tem intensa atividade política nas redes sociais, e apoiou a candidatura de Aécio

Jornal do Brasil, com Brasil 247
A ironia do caso é que Fernanda é uma agitadora das redes sociais, militante tucana.

Entre os nomes que vieram à tona  no caso sobre o esquema de evasões do HSBC, na Suíça, está o do brasileiro Paulo Celso Mano Moreira da Silva, ex-diretor do Metrô de São Paulo. Ele é acusado de improbidade administrativa pelo Ministério Público do Estado por suspeita de corrupção com a Alstom.

Em 1997, Moreira da Silva teria aberto conta no país e acrescentou duas filhas como beneficiárias da conta: Fernanda Mano de Almeida, 41 anos, e Mariana Mano Moreira da Silva, 38 anos. No período em que o Swissleaks é investigado, ele apresentava um saldo de US$ 3,032 milhões.

O curioso é que Fernanda tem intensa atividade política nas redes sociais, declarando seu apoio a Aécio Neves na eleição para presidente. Inclusive, ela postou uma imagem em seu perfil no qual aparece a seguinte inscrição: “Campanha contra a corrupção no Brasil – Eu tenho vergonha dos políticos brasileiros”. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »