16/05/2015 às 12h08min - Atualizada em 16/05/2015 às 12h08min

Cardozo rebate FHC: "Não se investigava a corrupção"

Ministro da Justiça diz que "há muita coisa no passado que foi arquivada, engavetada"

Brasil 247

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, alfinetou nesta quinta-feira o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao afirmar que existia corrupção no passado, mas não era investigada. "Há muita coisa no passado que foi arquivada, engavetada. Hoje se pode detectar, apurar e punir com uma dimensão que não havia no passado", disse Cardozo, em entrevista ao jornalista Mario Sergio Conti, na GloboNews.

Cardozo destacou que o Brasil deu um verdadeiro salto de qualidade no combate à corrupção nos últimos anos. "Nunca se investigou a corrupção no País como hoje se investiga. Mas é preciso ir além", ressaltou. Ele citou como exemplo para a conquista a criação, pelo governo federal, de institutos novos, como o fortalecimento da Controladoria Geral da União (CGU) e mecanismo de transparência, e o fato de o governo ter assegurado a autonomia da Polícia Federal e respeito ao Ministério Público, nomeando pessoas que investigam.

De acordo com o ministro, a decisão de combater a corrupção na última década também representou um risco para o governo, hoje bombardeado de críticas como se fosse a única gestão a ter cometido atos irregulares. "Quando se combate a corrupção, você a evidencia à luz do sol e se cria uma sensação de que não existia antes. É como uma doença oculta, que quando você descobre, você percebe o incômodo", disse.

Questionado sobre uma possível demora na regulamentação da Lei de Combate à Corrupção, o ministro explicou que a maior parte dos dispositivos da legislação é autoaplicável. E explicou que o governo despendeu tempo debatendo os aspectos jurídicos para evitar uma regulamentação açodada. "Não ficou inibida a aplicação de nenhum dispositivo da lei nesse período", acrescentou.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »