06/07/2015 às 09h43min - Atualizada em 06/07/2015 às 09h43min

Cotação do leite mantém ritmo de alta

Período de entressafra em Minas puxou elevação dos preços para o pecuarista pelo quinto mês consecutivo

Michelle Valverde – Diário do Comércio
A situação dos pecuatistas de leite, mesmo com altas dos preços, ainda é desfavorável. (Alisson J. Silva)

O período de entressafra fez com que os preços do leite em Minas Gerais apresentassem alta pelo quinto mês consecutivo, porém os valores praticados ainda estão abaixo do necessário para garantir lucro ao produtor. De acordo com levantamento feito pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), em junho, referente à produção entregue em maio, os pecuaristas do Estado receberam na média bruta 2,62% a mais pela comercialização do produto, no entanto, o valor de R$ 1,04 por litro está 5,45% inferior ao praticado no ano anterior. A tendência para este mês é de novo aumento de preços.

De acordo com o presidente da Câmara Setorial de Leite do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e diretor da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Rodrigo Alvim, a situação, mesmo com os aumentos, é desfavorável.

Isto pelo reajuste registrado até o momento não ser suficiente para cobrir as perdas registradas em 2014, quando os preços do leite sofreram série de quedas. "Embora as cotações tenham apresentado valorização, as mesmas ainda não foram suficiente para garantir rentabilidade. A situação não está boa para o produtor que vem trabalhando com os custos elevados, principalmente por conta da mão de obra, que está cada vez mais escassa e cara. Além disso, o consumo de leite não vem aumentando e, isso, também faz com que os preços não elevem a ponto de remunerar o produtor", avalia.

Em Minas Gerais, ao longo de junho, os pecuaristas receberam entre R$ 0,95, média líquida, aumento de 1,32%, e R$ 1,04, preço bruto, alta de 2,62% pela negociação do litro de leite. Para se ter ideia, em igual mês do ano passado, o litro do produto foi negociado na média líquida a R$ 1,02 e a R$ 1,10, valor bruto. Perda de 6,86% e 5,45%, respectivamente.

Média Brasil - Em junho, a valorização nos preços também foi verificado na média Brasil, composta pelos estados de Minas Gerais, Bahia, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Goiás e Bahia. De acordo com os pesquisadores do Cepea, de maio para junho, o aumento do preço líqüido recebido pelo produtor foi de 2,2%, com o litro negociado a R$ 0,953.

O preço bruto, que inclui frete e impostos, fechou a R$ 1,041 por litro, aumento de 2,67% em relação à média de maio de 2015, mas ainda 5,2% abaixo ao do mesmo período de 2014.

De acordo com os dados do Cepea, a captação de leite em Minas ficou apenas 0,61% inferior ao mês passado, porém a demanda mais aquecida pelo produto permitiu a elevação do preço. As regiões Sudeste e Centro-Oeste estão em período de entressafra, já que a tendência é de chuvas escassas, o que limita a oferta de pastagem e afeta a produtividade do rebanho leiteiro. Na média Brasil, o Índice de Captação de Leite do Cepea (Icap-L/Cepea) ficou praticamente estável em maio, com ligeira alta de 0,43%.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »