07/08/2015 às 10h42min - Atualizada em 07/08/2015 às 10h42min

Fórum Regional do Território da Mata dá voz a pequenas associações

Artesãos de rua e de catadores de material reciclável tiveram suas reivindicações incluídas entre as demandas selecionadas em Juiz de Fora

Segov/Divulgação

Segmentos econômicos historicamente ignorados pelo poder público, artesãos de rua e catadores de material reciclável foram ouvidos pelo Governo de Minas Gerais na segunda rodada do Fórum Regional de Governo Território da Mata, realizado na quarta-feira (5/8) em Juiz de Fora. A participação popular surpreendeu os organizadores: foram 521 cadastrados de 64 municípios da região.

Presidente do Fórum da População de Rua de Juiz de Fora, Márcio Esperidião dos Santos foi ao Fórum Regional com a esperança de ter sua reivindicação atendida. "Precisamos de um ponto fixo de comercialização da economia solidária na cidade para vender o artesanato que produzimos. É uma demanda histórica da nossa entidade, que reúne 40 pessoas e que nunca mereceu atenção dos governos anteriores", disse. Segundo ele, o canal aberto pelo Governo de Minas Gerais para escutar a população se constitui em uma ótima oportunidade para grupos como o seu, que sempre foram marginalizados, de se fazerem ouvir pelos gestores públicos.

Outra pequena cooperativa que marcou presença no Fórum foi a Associação dos Catadores de Material Reciclável de Além Paraíba, cidade localizada a 127 km de Juiz de Fora. O presidente da entidade, Dário Gomes Bruno, pediu mais infraestrutura para as 10 famílias que sobrevivem da coleta seletiva no município. "Necessitamos de equipamentos adequados para desenvolvermos nossa atividade, como veículos próprios para recolher o material, além de cursos de qualificação", afirma. Segundo ele, os fóruns regionais representam uma chance histórica para a categoria melhorar as condições de trabalho.

Principais reivindicações

A preocupação com o emprego foi uma das principais preocupações apresentadas durante a discussão do eixo Desenvolvimento Produtivo e Inovação Tecnológica. A sugestão dos participantes foi implantar Centros de Referência do Trabalho, com geração de oportunidades integradas ao trabalhador da Zona da Mata com serviços de qualificação profissional, captação de vagas, incentivo ao empreendedor urbano e rural e assessoramento aos empreendimentos econômicos solidários.

No eixo Saúde e Proteção Social, uma necessidade premente do Território é a retomada das construções dos hospitais regionais de Juiz de Fora e Além Paraíba, com gestão estadual dos equipamentos. Os participantes desse tema também incluíram a implantação da Rede de Atenção à Pessoa com Deficiência, com garantia de acessibilidade ao espaço, ações e serviços que visem fortalecer essa política pública. A retomada das obras do hospital de Juiz de Fora já foi anunciada pelo governo estadual.

Outro projeto de inclusão social importante aprovado neste eixo temático foi a instalação de projetos esportivos, paradesportivos e surdodesportivos escolares em áreas de vulnerabilidade, tais como morros, favelas, assentamentos, áreas rurais, quilombos, tribos indígenas e beneficiários de programas sociais.

 

Completes

Após a apresentação das prioridades na plenária final, o subsecretário de Gestão Estratégica da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, César Lima, anunciou os nomes dos escolhidos para compor o Comitê de Planejamento Territorial (Complete), que irá acompanhar as demandas identificadas e os projetos e recursos necessários para sua implantação.

O Complete do Território Zona da Mata irá integrar o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI) a partir do diagnóstico traçado em Juiz de Fora. Está agendada para o dia 19 de setembro uma reunião em Belo Horizonte com os integrantes dos Completes dos 17 Territórios de Desenvolvimento.

SEGOV - Governo de Minas - Central de Imprensa


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »