28/08/2015 às 14h25min - Atualizada em 28/08/2015 às 14h25min

Barraginhas: de simples indicação virou necessidade!

O uso complementar das barraginhas e dos lagos de múltiplo uso tem tornado realidade o sonho de muitos produtores de criar peixes e poder pescar.

Modelo de lago construído na zona rural.

O Vereador Ivan Martins Nogueira, presidente da Câmara Municipal de Leopoldina,  revelou ao jornal Leopoldinense, que foi apresentada em reunião ordinária, uma indicação sugerindo ao prefeito José Roberto de Oliveira a construção de ‘barraginhas’ em propriedades rurais do município de Leopoldina, com orientação de técnicos do escritório local da Emater e do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável. Assinaram a indicação os vereadores: Edvaldo Franquido Donato do Vale, Jacques Vilella, Leandro de Almeida Machado, Antonio Carlos Martins Pimentel além do próprio Ivan Martins Nogueira.

Ivan Nogueira diz que o tema já foi debatido por diversas vezes na Câmara, com a aprovação dos demais vereadores. A última vez foi na reunião do dia 11 de agosto, quando ele interpelou o líder do prefeito na Câmara, vereador Alfredo Mendes do Vale, solicitando que o prefeito disponibilize máquinas para a execução do projeto. De acordo com o vereador, a Emater mantém convênio com o município de Leopoldina e possui técnicos capacitados e dispostos a orientar na construção de ‘barraginhas’ nas propriedades rurais. Em recente debate no plenário da Câmara, Ivan Nogueira revelou que tem informações de que é possível construir mais de uma ‘barraginha’ por dia.

Barraginhas e lagos mantêm água o ano todo

Em muitos municípios no interior de Minas Gerais, em comunidades onde faltava água, hoje os produtores criam peixes e irrigam hortas. Com a construção de barraginhas, pequenas bacias para captar enxurrada, a realidade de várias famílias se transformou. As barraginhas retêm as enxurradas e fazem a água da chuva se infiltrar no solo. Assim, recarregam o lençol freático, que fica com o nível mais elevado. A tecnologia social, além de aumentar a disponibilidade de água na região, preserva o terreno, já que, ao conter as enxurradas, evita erosão.

Ao longo dos anos, os efeitos benéficos da tecnologia foram percebidos em diversas comunidades. Os produtores participam do projeto, indicando os locais onde correm as enxurradas e aprendendo a construir as pequenas bacias de captação. O uso complementar das barraginhas e dos lagos de múltiplo uso, considerados tecnologias sociais, tem tornado realidade o sonho de muitos produtores de criar peixes e poder pescar. O modelo pode ser adotado com um pequeno investimento. Os minilagos de 14 metros de diâmetro, por 1,2 metro de profundidade gastam quatro horas de máquina do tipo pá carregadeira e 30 metros de lona de oito metros de largura. 

Tecnologia premiada

Vencedor do prêmio Fundação Banco do Brasil em 2005 na categoria recursos hídricos, o projeto "Integração das Tecnologias Sociais Lago de Múltiplo Uso e Barraginhas" espalhou-se pelo País com o apoio de associações, prefeituras e da estatal brasileira de petróleo, a Petrobras. Mais de 150 mil barraginhas já foram instaladas e estão espalhadas no Distrito Federal e em 11 estados: Minas Gerais, Piauí, Ceará, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Rio de Janeiro, Sergipe, Bahia, Pará e São Paulo. Além disso, a divulgação da tecnologia já estimulou a implantação de outras milhares de pequenas barragens por todo o País. Mas, certamente, os principais resultados são as transformações de paisagens e aumento da qualidade de vida de milhares de pequenos produtores.

Fontes: Emater e Embrapa

 
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »