21/09/2015 às 10h26min - Atualizada em 21/09/2015 às 10h26min

Se você pudesse escolher onde morar, qual a sua opção?

Luiz Otávio Meneghite
Apesar da violência a cidade grande ainda exerce fascínio nas pessoas do interior

Quando eu era mais novo, como a maioria dos jovens de minha geração nascidos no início da década de 1950, sonhava em crescer e me mudar para a cidade grande. O sonho de consumo na época era o Rio de Janeiro, Capital da República até a inauguração de Brasília, com a vantagem de possuir praias maravilhosas e os times de futebol para os quais torcíamos. Tudo que chegava de lá ao nosso conhecimento pelas ondas do rádio e pelas páginas dos jornais diários e revistas semanais revelavam a beleza da Guanabara e do Rio de Janeiro, não por acaso chamada de Cidade Maravilhosa.

A influência de hábitos e costumes do Rio de Janeiro sobre os moradores da Zona da Mata ainda é tão grande que somos chamados de ‘cariocas do brejo’. A curta distância de 230 quilômetros entre Leopoldina e Rio também contribui para isso. A pouca presença das autoridades de Belo Horizonte com ações efetivas aqui na região pode ser considerado outro fator importante para nos sentirmos atraídos pelo Rio de Janeiro.

Tive o privilégio de conhecer o Rio de Janeiro ainda criança e lá fiquei durante algum tempo na adolescência, estudando e trabalhando. Apesar de quase não sobrar tempo para turismo tudo lá me encantava, Retornei definitivamente para Leopoldina antes de completar 18 anos e só voltei ao Rio de Janeiro anos depois para participar de cursos no IBAM e na FGV.  Foram muitos e nessas ocasiões pude rever a Cidade Maravilhosa.

Com o passar dos anos e a proliferação das drogas, a cidade grande foi se tornando violenta e mesmo mantendo sua beleza natural, perdeu um pouco do encanto para o medo. Ela ainda exerce grande fascínio nas pessoas, apesar da violência da qual tomamos conhecimento pelo noticiário de todos os meios de comunicação.

Hoje, reencontro muitos amigos que se mudaram de Leopoldina em busca do sonho de realização profissional e financeira na cidade grande, que estão fazendo o caminho de volta para o interior. Muitos não se contentam apenas em voltar para a cidade pequena, que apesar dos problemas estruturais, ainda oferece melhor qualidade de vida que as cidades maiores.

Com quem eu converso tomo conhecimento que estão fazendo opção por ficarem mais afastados do barulho da zona urbana e adquirindo pequenas propriedades rurais, preferencialmente chácaras não muito distantes do centro urbano. Em Leopoldina já existem vários empreendimentos do gênero em andamento e o segmento tem avançado tanto que levou o Poder Executivo a enviar à Câmara de Vereadores, um projeto de lei regulamentando o loteamento de chácaras, que está em tramitação.

Outros que estão saindo da cidade grande estão optando por morar em pequenas cidades litorâneas, com maior procura pelo Espírito Santo. Enfim, as pessoas estão em busca de melhor qualidade de vida e quando saem do interior para a cidade grande em busca de melhores condições de trabalho e tranqüilidade financeira, com o passar dos anos, com a agitação da metrópole, começam a pensar em fazer o caminho de volta em busca da tranqüilidade de vida, de uma velhice saudável, confortável e o reencontro com os amigos e parentes. A enquete desta semana procura uma resposta para a seguinte pergunta: Se você pudesse escolher onde morar, qual a sua opção? Clique aqui e veja as opções de respostas


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »