03/10/2015 às 12h07min - Atualizada em 03/10/2015 às 12h07min

Indenização por invalidez cresce 57% em Minas Gerais

Aline Louise - Hoje em Dia
Na maioria das batidas frontais, o resultado é a morte ou a mutilação das vítimas.( SAMUEL COSTA/ARQUIVO/Hoje em Dia)

Minas Gerais é o Estado da região Sudeste com maior número de casos de invalidez permanente decorrentes de acidentes de trânsito. Em 2014, 72.659 indenizações foram pagas nesta modalidade de cobertura, avanço de 57% na comparação com o ano anterior.

Os dados são do anuário estatístico da Seguradora Líder–Dpvat. Minas também teve o maior número de pedestres acidentados, com 14.264 indenizações pagas no ano passado nessa modalidade, 29% a mais que em 2013.

Para o professor da Universidade Fumec Márcio Aguiar, especialista em trânsito, o aumento expressivo nas ocorrências entre 2013 e 2014 aponta uma falha na fiscalização. “Acidentes que geram lesões graves envolvem velocidade, pelo alto índice de severidade. Isso ocorre porque falta controle dos órgãos”, avalia.

O especialista diz ainda que a sensação de que envolvidos em acidentes não são punidos, seja por conduzirem desrespeitando a velocidade limite ou sob efeito de drogas e álcool, é um incentivo para reincidirem nos delitos. “No mundo inteiro há queda do índice de acidentes porque a fiscalização é permanente e intensa. No Brasil, ela ocorre por alguns períodos, e falta continuidade”.

O professor também chama atenção para o fato de Minas Gerais ter a maior malha viária do país, com as principais estradas cortando o Estado. Segundo relatório divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 1.162 pessoas morreram nas estradas mineiras no ano passado, em 21,8 mil acidentes.

Dados

Ainda na região Sudeste, o anuário mostra que cresceu em 27% as indenizações pagas a crianças de 0 a 7 anos no Espírito Santo. No Rio de Janeiro, o domingo é o dia em que são registrados mais acidentes com pessoas feridas: foram 4.086 em 2014 – incremento de 13% comparado com 2013.

O destaque no Distrito Federal fica por conta das indenizações por acidentes com motocicletas. O aumento foi de 73%, passando de 1.481 ocorrências em 2013 para 2.558 em 2014.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »