06/11/2015 às 14h20min - Atualizada em 06/11/2015 às 14h20min

Atingidos por desastre em Mariana serão levados para hotéis, garante Pimentel

Renato Fonseca e Tatiana Moraes - Hoje em Dia
Ana Lúcia da Silva é uma das desabrigadas que está na Arena.(Renato Fonseca/Hoje em Dia)

Entre esta sexta-feira (6) e a manhã de sábado (7), famílias atingidas pela tragédia no distrito de Bento Rodrigues, distrito de Mariana, na região Central de Minas, começam a ser levadas para hotéis da cidade e do entorno. Todos estão provisoriamente alojados na Arena Mariana, montada para prestar as primeiras assistências.

A afirmação foi dada pelo governador Fernando Pimentel. "Aqui (Arena), realmente não tem condições de abrigar durante muito tempo essa quantidade de pessoas. A própria empresa (Samarco) está fornecendo vagas". Acompanhando do ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, Pimentel esteve em Mariana e sobrevoou as áreas atingidas. Na sequência falou com a imprensa durante coletiva.

Segundo o governador, a Polícia Civil já instaurou inquérito para apurar as causas dos acidente. Porém, ainda não é possível precisar hipóteses. "É muito cedo para falar qualquer coisa e tirar conclusão. O Ministério Público está acompanhando. Nossa preocupação agora é atender os desabrigados e atender os que estão desaparecidos", afirmou.

O Estado irá reconhecer a solicitação de situação de emergência pela prefeitura de Mariana, mas não há previsão de liberação de recursos por parte do Governo Federal. "Nesse momento não há necessidade, ainda. As doações que vocês viram aqui estão chegando de forma muito abundante, acho que não haverá necessidade de recurso emergencial. Mas assim que passar a primeira situação, vamos iniciar a recuperação das estradas que foram atingidas, das pontes, mas isso tem que esperar um pouco".

Pimentel disse que vai acompanhar o caso pessoalmente e durante todo o fim de semana. "É um quadro muito terrível. Uma tragédia que, do ponto de vista ambiental, acredito ser o maior desastre da história de Minas Gerais". Ele reforçou que ainda não há um cálculo das vítimas.

"Não sabemos ainda precisar. A empresa levantou 13 desaparecidas, mas esses são da frente de trabalho da própria empresa. Nas localidades nós não temos esse levantamento. Está sendo feito um cadastramento aqui pela prefeitura e pela Defesa Civil. Então todas as providências estão sendo tomadas para atender aos desabrigados, para localizar os desaparecidos".

Abrigo

 

prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS),

prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS),

 

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS), confirmou que entre 500 e 600 pessoas atingidas pelo rompimento das barragens serão encaminhadas a hotéis da região. A hospedagem será paga pelo poder público. O prefeito afirma que a diretoria da Samarco se disponibilizou a arcar com as despesas, mas não informou o valor ou quando o depósito será feito.

De acordo com o chefe do Executivo, a prefeitura está fazendo um levantamento sobre a quantidade de leitos em Mariana. Caso não seja possível abrigar todas as pessoas no município, os hotéis das cidades vizinhas serão utilizados.

Duarte Júnior, que sobrevoou a região, afirmou estar surpreso com o que viu. “É uma tragédia. Vi pessoas desesperadas, carros sobre casas. As pessoas perderam tudo. Elas precisam de muita dignidade nesse momento”, afirmou.

A locação de casas foi descartada. “Em um hotel a pessoa tem mais conforto. Em casas alugadas é necessário ligar luz, água”, explicou. Duarte Júnior comentou que muitas famílias de Santa Rita Durão, município próximo a Bento Rodrigues, distrito mais atingido pelo rompimento das barragens, se negaram a sair de casa. Outras, estão na casa de parentes em Mariana. Isso significa que a quantidade de desabrigados é maior do que a aparente.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »