19/12/2015 às 11h38min - Atualizada em 19/12/2015 às 11h38min

Secretaria de Saúde prorroga prazo de inscrições em processo seletivo

Objetivo é preencher duas vagas de cuidadores para atender demanda do Serviço de Residência Terapêutica.

Luiz Otávio Meneghite
As residências terapêuticas são moradias inseridas na comunidade, garantindo o convívio social.(Foto ilustrativa)
A Secretaria Municipal de Saúde de Leopoldina prorrogou o prazo para recebimento de inscrições no Processo Seletivo Simplificado que tem como objetivo preencher duas vagas de ‘cuidadores’, para atender a demanda do Serviço de Residência Terapêutica.

O prazo foi estendido até a próxima quarta-feira, 23 de dezembro. Também foi alterada a data para a realização da entrevista técnica para terça-feira, 29 de dezembro. A justificativa para a prorrogação foi o fato do site da Prefeitura de Leopoldina ter ficado indisponível por um período em conseqüência da transição para o novo Portal do Município.

O comunicado da prorrogação foi assinado pelo prefeito José Roberto de Oliveira e pela secretária de Saúde, Lúcia Helena Fernandes da Gama e publicado na edição de sexta-feira, 18 de dezembro, do Diário Oficial dos Municípios Mineiros.

A contratação é temporária pelo prazo de 6 meses podendo ser prorrogado a critério da Secretaria Municipal de Saúde. Está sendo exigida no ato da inscrição a comprovação de conclusão do ensino médio e comprovação de experiência e habilidade profissional para exercer a função. A carga horária é de 40 horas semanais em regime de 12/36 horas com salário de R$804,97 + R$280,00 de auxílio alimentação.
As inscrições estão sendo recebidas na sede da Secretaria Municipal de Saúde, na avenida Getulio Vargas nº 61, no horário de 08h00min às 15h00m. 

O que é o Serviço Residencial Terapêutico

O Serviço Residencial Terapêutico em Saúde Mental foi instituído a partir da Portaria do Ministério da Saúde nº 106, de 11 de fevereiro de 2000. Os Serviços Residenciais Terapêuticos são programas estratégicos no processo de desinstitucionalização. Elas caracterizam-se como moradias inseridas na comunidade, garantindo o convívio social, a reabilitação psicossocial e o resgate da cidadania daquelas pessoas com transtorno mental, egressas de hospitais psiquiátricos, com internação de longa permanência (dois anos ou mais ininterruptos) e que não possuem vínculos familiares e sociais.

Fontes: Diário Oficial dos Municípios Mineiros e Ministério da Saúde

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »