04/01/2016 às 08h41min - Atualizada em 04/01/2016 às 08h41min

Copasa vai combater 'gatos' para evitar desperdício de água em MG

No Rio de Janeiro Lei prevê multa para quem desperdiçar água

Ricardo Rodrigues - Hoje em Dia e Paulo Cappelli – O Dia Online
No Rio de Janeiro Lei prevê multa para quem desperdiçar água
O combate a “gatos” e captações irregulares de água é prioridade em 2016, afirmou a presidente da Copasa, Sinara Meireles, durante  solenidade que marcou o início da captação de água do rio Paraopeba, em Brumadinho, que afasta o risco de crise hídrica na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Para o interior do Estado, não há obras previstas para 2016, mas a presidente adiantou que a Copasa terá dinheiro para recuperar barragens no Norte de Minas e para perfurar poços subterrâneos em municípios do interior, onde as condições de abastecimento não forem  adequadas.

Sinara disse que o programa Caça-gotas diminuiu em 51% o tempo para correção de vazamentos de água na capital, passando de 9 horas para 4 horas e 49 minutos, o que teria possibilitado  significativo combate ao desperdício. Porém, ela não informou qual o índice de redução obtido com a fiscalização de ligações clandestinas.

Segundo ela, é possível reduzir  a perda de água tratada se instalar tubulações mais novas, trabalhar com pressões mais baixas e renovar os hidrômetros.

Em janeiro de 2015, entre a oferta de 15 mil litros de água por segundo e um consumo de 9 mil l/s, a Copasa tinha perda média de 40% na etapa de distribuição na RMBH. A empresa se inspira em modelos europeus para reduzir as perdas, tendo por referência cidades como Lisboa, Tóquio e Berlim, que desperdiçam de 3% a 4% da água que produzem, ou seja, dez vezes menos que a estatal mineira.

A meta de reduzir de 40% para 30% até 2018 a perda de água tratada é alvo de críticas de especialistas em recursos hídricos, que cobram rigor diante de tamanho desperdício, provocado por furos nos canos, redes defeituosas carentes de manutenção e por ligações clandestinas.

No Rio de Janeiro Lei prevê multa para quem desperdiçar água

A partir de agora, usar água para limpar a calçada e lavar o carro com mangueira em via pública vai doer no bolso. O prefeito Eduardo Paes sancionou projeto de lei que prevê multa para quem descumprir a medida: segundo o Diário Oficial, o valor será definido em até noventa dias.

De acordo com o texto, que já está em vigor, a limpeza de calçadas e estacionamentos deve ser feita apenas por “varrição, aspiração e outros recursos que prescindam de lavagem”. A exceção é quando a água for de reúso ou de aproveitamento de água de chuva — nestes casos, torneiras, tubulações e reservatórios devem estar devidamente identificados.
De autoria da vereadora Teresa Bergher, a lei só permite o uso de água potável na lavagem após alagamentos e acidentes com derramamento de líquidos e material em pó. Açougues, peixarias e abatedouros não estão sujeitos a esta lei.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »