05/02/2016 às 08h30min - Atualizada em 05/02/2016 às 08h30min

Preço do litro de leite pago ao produtor volta a registrar queda

Na Zona da Mata hpuve exceção com a elevação de 2,84% no preço bruto, com o litro de leite negociado a R$ 0,97.

Michelle Valverde - Diário do Comércio
O preço médio do litro de leite pago ao produtor mineiro, em janeiro, foi de R$ 0,98, queda de 0,15%
Os preços do leite em Minas Gerais voltaram a apresentar queda em janeiro, referente à produção entregue em dezembro. O recuo complica ainda mais a situação dos pecuaristas, que acumulam prejuízos após os aumentos relevantes nos custos com ração, medicamentos, energia elétrica e combustíveis.
 
De acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o preço médio líquido praticado no Estado, em janeiro, foi de R$ 0,98 por litro, queda de 0,15% frente ao mês anterior.
 
Segundo o responsável pelo setor de coleta de leite da Cooperativa Regional de Produtores de Leite de Serrania Ltda (Corples), com sede em Serrania, no Sul de Minas, Manir José Gonçalves Marilia, vários produtores na região estão abandonando a atividade devido aos preços baixos praticados na negociação do leite.
 
“Os custos de produção estão bem mais altos e os preços pagos pelo leite não acompanharam. Para se ter ideia, o saco de ração que era adquirido em média a R$ 26, hoje está custando no mínimo R$ 45, aumento de 73%. Enquanto isso, os preços pagos pelo leite estão caindo. A situação do produtor é complicada e muitos estão saindo da atividade”, explica.
 
Ainda segundo Gonçalves, outros insumos fundamentais para atividade também tiveram os custos alavancados como os combustíveis e a energia elétrica, nesta última, a elevação ficou próxima a 100%. A desvalorização do real frente ao dólar também impactou de forma negativa na atividade, já que diversos medicamentos são importados, assim como produtos utilizados no manejo dos pastos.
 
Leia também
Grande BH e Zona da Mata são exceções
 
Queda - “Com os custos em alta e os preços abaixo do necessário, a tendência é que ocorra queda na captação de leite. O produtor está com a capacidade de investimento no rebanho comprometida e, isso, prejudica toda a atividade”, avalia Gonçalves.
 
Outro fator que impactou foram as chuvas, que apesar de terem contribuído para a melhor recuperação das pastagens, fizeram com que a qualidade do leite caísse, afetando diretamente os preços. “No período chuvoso, o manejo do rebanho é mais complicado e pode afetar a contagem bacteriana. Com a perda da qualidade final do produto, o pecuarista recebe menos”, explica.
 
Segundo o levantamento do Cepea, no Sul de Minas Gerais, o valor médio do leite ficou entre o líquido de R$ 0,91 e o bruto de R$ 0,99, queda de 0,52% e 0,58%, respectivamente. A média de preço praticado no Estado foi de R$ 0,98, valor líquido, e de R$ 0,98 valor bruto, representando queda de 0,15% e 0,38%. A queda é justificada pelo período de safra da produção leiteira. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »