13/02/2016 às 12h26min - Atualizada em 13/02/2016 às 13h26min

Exército e Prefeitura reforçam guerra contra Aedes aegypti em Leopoldina

Presença das Forças Armadas mostra gravidade da situação para uma população que ainda pouco colabora.

João Gabriel B. Meneghite
De segunda (15/02) à sexta (19/02), militares farão visitas nas residências de Leopoldina, acompanhados por agentes de saúde (Foto: João Gabriel B. Meneghite)
O município de Leopoldina foi considerado endêmico e entrou na guerra contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya  e do Zika vírus..  Militares  do Exército Brasileiro chegaram à cidade na manhã deste sábado (13/02) para reforçar a campanha que visa erradicar a transmissão do vírus causador da microcefalia.
 
Trinta e quatro militares da 4º Região de Juiz de Fora (17º B LOG L), sob o comando do Tenente Coronel Mouro, estiveram na manhã deste sábado reunidos com o prefeito municipal Dr. José Roberto de Oliveira, com secretários municipais de diversas áreas e  equipes de agentes de combate a endemias e agentes comunitários da secretaria municipal de saúde, de responsabilidade da secretária Lúcia Helena Fernandes da Gama.
 
Uma passeata foi realizada na Rua Barão de Cotegipe, seguindo em direção ao centro com equipes do 4º Pelotão de Corpo de Bombeiros Militar, Exército Brasileiro e demais setores da prefeitura para panfletagem e conversa com a população.


 
O prefeito José Roberto mobilizou toda a sua equipe de trabalho para a campanha, que teve presença ainda do Poder Legislativo de Leopoldina, representado pelo presidente da casa, o vereador Ivan Martins Nogueira, além dos vereadores Hélio Baptista Braga e Alfredo Mendes do Vale.

Segundo o Tenente Coronel Mouro, neste sábado, apenas a panfletagem foi realizada. Os militares ficarão alojados no Ginásio Poliesportivo Carlota Mendonça Gama, localizado Avenida Getúlio Vargas. Na segunda-feira eles já começam a combater focos do Aedes aegypti pelos bairros, seguindo planejamento da Prefeitura de Leopoldina. Os militares ficarão na cidade até sexta-feira (19/02).
 
Em todo país,  220 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica estão nas ruas distribuindo material impresso com orientações para a população de várias cidades entre elas outras três da Zona da Mata: Cataguases, Juiz de Fora e Ubá.. A meta é visitar três milhões de residências no país.
 
Para a distribuição do efetivo das Forças Armadas nessa fase de mobilização, foram considerados os municípios com maior incidência das doenças transmitidas pelo mosquito e os que contam com organizações militares instaladas nas proximidades





 
Próximas etapas
 
Ainda estão previstas duas etapas da campanha de combate ao Aedes. Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, 50 mil militares, sob a coordenação do Ministério da Saúde, farão visitas nas residências, acompanhados por agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando os moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros.
A última etapa, ainda em fase de elaboração com o Ministério da Educação (MEC), prevê a participação de visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.
 
JORNAL LEOPOLDINENSE, com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério da Defesa

VEJA GALERIA DE FOTOS ►

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »