17/02/2016 às 09h40min - Atualizada em 17/02/2016 às 09h40min

Professor do Cefet Leopoldina desenvolve método não invasivo para detectar icterícia

Junto com o professor Rafael José Fonseca, Deilton Gomes orientou o trabalho de conclusão de curso do estudante Henrique Curzio.

Prof. Deilton Gomes, do CEFET Leopoldina
O professor Deilton Gonçalves Gomes, da Unidade Leopoldina do CEFET-MG está desenvolvendo um método inovador para detectar uma substância que causa a icterícia em recém-nascidos. Deilton que é do Departamento de Eletroeletrônica, participa da pesquisa durante seu pós-doutorado na Sacramento State California State University, Sacramento, nos Estados Unidos.

O projeto tem como objetivo desenvolver um medidor portátil de concentração de bilirrubina presentes em recém-nascidos, chamado de bilirrubinômetro transcutâneo. Quando em excesso, a bilirrubina não é processada totalmente pelo fígado e causa coloração da mucosa e pele amarelada, chamada de icterícia. Sem tratamento, a doença pode ser nociva para o cérebro, deixando sequelas irreversíveis para a criança e podendo levá-la à morte.

O passo inicial para o projeto desenvolvido nos Estados Unidos foi dado dentro do CEFET-MG. Junto com o professor Rafael José Fonseca, Deilton Gomes orientou o trabalho de conclusão de curso do estudante Henrique Curzio. O aluno desenvolveu um equipamento, chamado de oxímetro, que serviu como introdução para o trabalho desenvolvido no pós-doutorado.

Em Sacramento, Deilton coordena o projeto com o prof. Warren Smith, que tem participação de estudantes de engenharia e administração. A equipe se dedica a desenvolver um equipamento que seja mais barato e prático que outros disponíveis no mercado.
Deilton explica que o principal método de detecção da concentração de bilirrubina é a partir da amostra de sangue. “Isso significa uma intervenção dolorosa e pouco indicada para neonatos prematuros”, afirma. O equipamento em desenvolvimento utiliza da emissão de luz para fazer a medição.

Segundo o professor Deilton, já há medidores não invasivos no mercado, mas que são caros e dependem do uso manual de médicos e enfermeiros. O produto proposto pela equipe é mais compacto e barato e permite o monitoramento contínuo do recém-nascido. “Os dados das medições de níveis de bilirrubina serão apresentados em um microcomputador via interface gráfica para os profissionais da saúde”, conta. O equipamento também irá oferecer melhor precisão nos resultados.

Simpósio

O projeto foi apresentado durante o 28º Biotechnology Symposium, que visa discutir tecnologias inovadoras em biotecnologia. Deilton conta que o protótipo foi bem recebido, e a equipe ganhou dois prêmios de reconhecimento: Crowd Favorite e Judges’ Special Award (Evaluation Panel’s Special Recognition).

Para Deilton Gomes, a vantagem de realizar esta pesquisa em uma instituição internacional é colocar o CEFET-MG em contato com novos conhecimentos e tecnologias. Ele afirma que irá repassar os conhecimentos obtidos com seus colegas, como nas áreas de impressão 3D, equipamentos biomédicos e softwares.

Saiba mais
Conheça o projeto (vídeo em inglês)
Entenda a icterícia neonatal
Secretaria de Comunicação Social / CEFET-MG

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »