20/02/2016 às 10h50min - Atualizada em 20/02/2016 às 10h50min

Após 37 horas de júri, Wagner Schubert é condenado à 24 anos de prisão

Os sete jurados consideraram o réu culpado da acusação de ser o mandante da morte de sua mulher, e em seguida o juiz Maurício José Pirozi fez o anúncio do veredicto.

Rádio Muriaé
Juiz Maurício Pirozi fez a leitura da sentença às 22h20 desta sexta (19) (Foto: Rádio Muriaé)
Depois de 37 horas de julgamento, o delegado aposentado da Polícia Civil (PC), Wagner Schubert, foi condenado, na noite desta sexta-feira (19), à 24 anos de prisão pelo assassinato de sua mulher, a professora Mônica Vidon, baleada na cabeça no dia 19 de novembro de 2008.

O júri popular, realizado no Fórum Tabelião Pacheco de Medeiros, em Muriaé, foi iniciado nesta quinta-feira (18), e terminou há poucos minutos, às 22h10 desta sexta (19).

Os sete jurados consideraram o réu culpado da acusação de ser o mandante da morte de sua mulher, e em seguida o juiz Maurício José Pirozi fez o anúncio do veredicto e leitura da sentença, definindo a pena em 24 anos, a ser cumprida inicialmente em regime fechado.

O primeiro dia do julgamento foi marcado pelos interrogatórios de oito testemunhas e exibição de três depoimentos em vídeo, prestados à Polícia Civil. Duas destas oitivas são dos supostos autores do crime, que foram assassinados, respectivamente, em março de 2013 e agosto de 2015, e a outra é de uma jovem que confirma a versão da acusação e que não foi encontrada pela Justiça para depor no júri.

Já o segundo dia, foi dedicado ao depoimento do réu, que durou quase cinco horas, e aos debates entre acusação e defesa.


Familiares e amigos de Mônica Vidon aguardaram o veredicto de mãos dadas


E após a sentença a emoção tomou conta de todos


Fonte e fotos : Rádio Muriaé

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »