09/03/2016 às 08h27min - Atualizada em 09/03/2016 às 08h27min

Crise: devemos mesmo cortar o cafezinho?

Sempre que ouvimos a palavra crise, em seguida, vem a palavra corte. Nas empresas, por exemplo, o primeiro, ou um dos primeiros, a ser cortado do orçamento é o café do dia a dia. Ou, quando vamos preparar a planilha mensal, o cafezinho fora de casa e do escritório, é excluído dos gastos mensais.

O café já foi vilão e mocinho quando o assunto é saúde, mas alguns estudos mostram que tomar na quantidade ideal, sem exageros, é benéfico e traz energia. No mundo corporativo, ele é símbolo de encontros de relacionamentos, de uma reunião de negócios ou no bate-papo com os colegas entre um trabalho e outro.

Pensando na produtividade e desempenho da equipe, investir em um café de qualidade é uma ótima saída para a empresa reduzir custos e ter bons resultados em tempo de crise. E isso não é tão complicado quanto parece, economicamente falando.

“Para as empresas a opção de uma máquina de café super automática, na qual o café é feito com grãos moídos na hora, é uma saída para economizar e ainda melhorar a qualidade do café oferecido aos colaboradores. Investindo em grãos de categoria superior, a dose sai por menos de R$0,35. Se a empresa consumir pelos menos 10 doses diárias, o investimento na máquina será pago no primeiro ano. Isso comparando as com as máquinas que preparam a bebida com saches", explica Rui Gustavo Dzialoschinsky, presidente da De’Longhi no Brasil.

E falando sobre os benefícios para saúde, especialistas apontam que tomar quatro xícaras por dia aumenta a capacidade de concentração. Além de diminuir os riscos de desenvolver doenças cardiovasculares entre outras doenças.

Uma pesquisa feita pelo instituto norueguês - National Institute of Occupational Health - aponta que a bebida pode diminuir dores nos ombros e pescoços, muitas vezes relacionadas com o trabalho.

"Antes de cortar o cafezinho por conta da crise, veja quais são os benefícios para sua empresa em questões de produtividade e qualidade de vida de seus funcionários, pois a mudança para um café de melhor qualidade será revertida em mais energia para sua equipe, por conta das vitaminas e antioxidantes presentes no café, no qual o grão é moído na hora", aconselha Rui.

Fonte Andressa Bregalanti e Eloyd Augusto, da  Agência VIVA!

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »