09/06/2016 às 00h00min - Atualizada em 09/06/2016 às 00h00min

Revista exalta atendimentos fisioterapêuticos diversificados oferecidos pelo SUS em Leopoldina

Núcleo Integrado de Reabilitação conta com assistência fisioterapêutica por meio de recursos como RPG, Pilates, Fisioterapia Aquática e Dermatofuncional

Núcleo Integrado de Reabilitação (NIR) Dr. Nilo Luiz da Silva
A revista Crefito4, editada pelo Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região, sediada em Belo Horizonte, trouxe em sua edição nº 03, de maio de 2016, uma matéria em página dupla exaltando os atendimentos fisioterápicos diversificados oferecidos pelo SUS em Leopoldina, no Núcleo Integrado de Reabilitação Dr. Nilo Luiz da Silva. A revista chegou à redação do jornal Leopoldinense pelas mãos da viúva do Dr. Nilo, Cidinha Lintz Guedes Machado Silva e a matéria está reproduzida  a seguir com a devida autorização dos editores.
“No município mineiro de Leopoldina, na Zona da Mata, a população de pouco mais de 50 mil habitantes passou a contar, recentemente, com consultas fisioterapêuticas diversificadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da utilização de diversos recursos e técnicas da profissão. A atual gestão da cidade inaugurou, no dia 26 de fevereiro deste ano, o Núcleo Integrado de Reabilitação (NIR) Dr. Nilo Luiz da Silva, que oferece à sociedade leopoldinense atendimentos com fisioterapeutas que utilizam de recursos como RPG (Reeducação Postural Global), Pilates, Cinesioterapia, Eletroterapia, Fisioterapia Aquática e Dermatofuncional.
 
Oito fisioterapeutas trabalham hoje no Núcleo de Reabilitação de Leopoldina, atuando em áreas diversificadas. O local possui outro diferencial, que é o atendimento também por acesso direto da população, podendo consultar diretamente o fisioterapeuta. Os pacientes que são atendidos hoje no NIR são formados, em sua maioria, por esse acesso direto por demanda espontânea, segundo o fisioterapeuta Dr. Paulo Sérgio Oliveira da Silva, que atua no núcleo utilizando do Pilates clínico em seus atendimentos fisioterapêuticos.
 
O NIR de Leopoldina é mantido com recursos próprios do Município. O prefeito e médico Dr. José Roberto de Oliveira relata que a Prefeitura teve auxílio apenas na construção da piscina e na aquisição dos equipamentos do local, doados pelo então secretário estadual de Saúde, Dr. Marcus Pestana. Para o gestor municipal, manter o núcleo em funcionamento em tempos de crise e sem o auxílio dos governos estadual ou federal tem sido um grande desafio. “O repasse de verba tem sido cada vez menor e a Prefeitura tem arcado com todas as despesas. Mas não tem o que substitua o prazer de ver o paciente saindo daqui com os movimentos recuperados”, salienta.
 
A secretária municipal de Saúde,  Lúcia Helena Fernandes da Gama, que é enfermeira, conta que os resultados obtidos após a criação do núcleo, somados aos demais serviços de saúde que oferecem atendimento com fisioterapeuta, já são visíveis. “Nós interligamos os serviços de fisioterapia do Município como um elo, onde um não funciona sem o outro. Essa ideia não é só para a economicidade, mas também para o próprio desenvolvimento do paciente. Eu fico feliz de ver pessoas que antes eram restritas ao leito e hoje já não estão mais. O ganho maior é a qualidade de vida que eles estão tendo. Aqui nós temos pessoas que estão sendo tratadas, reabilitadas, mas temos também a parte preventiva da fisioterapia para que os idosos tenham uma melhor qualidade de vida, que diminuam as dores que sentem. Temos menos internações por hipertensão e diabetes, graças ao trabalho que está sendo feito”, explica a secretária.



► Lúcia Gama e o prefeito José Roberto com o presidente do CREFITO4, Anderson Luís Coelho
 
O presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4a Região (CREFITO-4), Dr. Anderson Luís Coelho, visitou o local no dia 6 de abril e destacou que o maior diferencial do Núcleo Integrado de Reabilitação de Leopoldina é realmente a vasta gama de serviços oferecidos à população. “Os recursos fisioterapêuticos disponíveis no NIR não são comumente disponibilizados pelo SUS, mas têm enorme capacidade de contribuir com a saúde da população. Outro aspecto que também me chamou a atenção no núcleo é o acesso direto da população aos serviços ofertados. Esse atendimento por demanda espontânea valoriza a autonomia profissional do fisioterapeuta”, finaliza.”


► 
Lucia Gama explica ao Dr. Anderson o funcionamento do centro de reabilitação

Fonte e crédito das fotos: Crefito4

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »