22/06/2016 às 20h56min - Atualizada em 22/06/2016 às 20h56min

Exposição “Memórias 110 anos" do Ginásio

A exposição foi visitada por centenas de alunos de diversas escolas de Leopoldina.
 Como parte das comemorações dos 110 anos da E.E. Prof. Botelho Reis, o antigo “Gymnásio Leopoldinense”, completados no dia 03 de junho, o professor de artes Adilson Ramos idealizou e organizou a Exposição “Memórias 110 anos".  Documentos, objetos antigos do laboratório de física, química, microbiologia, farmacologia, animais empalhados do museu de história natural.  “São fontes materiais importantíssimas para a contextualização dos hábitos e práticas escolares do passado, quer seja enquanto testemunho de época na sua própria materialidade, quer seja enquanto representação cultural, afetivo do passado. É um aprendizado e tanto!”  Afirma Adilson, que também agradece a colaboração dos alunos com suas pesquisas e o apoio dos amigos de trabalho, o diretor Fernando Miranda Vargas, as professoras Simone Morais Campos, Maria do Rosário Bianque, Valéria Carminate, Cristina e do auxiliar de serviços Geraldinho.

 
   
Monsenhor Antonio Chamel lembrando de Monsenhor     O professor Adilson ramos, idealizador da exposição
Guilherme de Oliveira diante da escrivaninha do sec.XIX                                                                                 
utilizada pelo saudoso ex-diretor.

História.

O  Gymnásio Leopoldinense foi fundado em 03 de junho de 1906 pelos irmãos  José e Custódio Monteiro Ribeiro Junqueira, líderes políticos locais.  Teve como sede o antigo sobrado onde funcionou a “Farmácia Central” (Hoje o bloco central de seu edifício).     Funcionou como Escola Normal . Em 1912, o Ginásio passou a oferecer ensino técnico pela Escola Agrícola, em regime de internato, e ensino superior com a Escola de Farmácia e Odontologia, inaugurada em 17 de janeiro. O curso de Odontologia foi suprimido em 1921 e a de Farmácia em 1929. A Escola Agrícola e a Escola Normal também foram desativadas e, em seu lugar, foi criada em 1933 a Escola de Comércio.

O Ginásio se tornou uma escola afamada com alunos vindos de todo o país.  Era uma escola particular freqüentada pelas oligarquias. Em 1946, com dificuldades financeiras o Ginásio foi vendido para a Diocese de Leopoldina, que tinha a sua frente D. Delfim Ribeiro Guedes.  Em 1955 foi adquirido pelo estado de Minas Gerais, passando a chamar-se Colégio Estadual Professor Botelho Reis, em homenagem ao diretor que ficou à frente da instituição de 1910 a 1925.

Políticos como o advogado Carlos Luz fizeram parte do corpo docente da Escola de Farmácia. Dentre os ex-alunos, alguns se tornaram figuras de destaque como o governador Milton Campos, o cineasta Humberto Mauro e o escritor português Miguel Torga.

O edifício foi projetado pelo engenheiro Ormeo Junqueira Botelho em estilo neoclássico e teve sua construção iniciada em 1918 pela ala direita. A ala esquerda começou a ser construída em 1926 e foi concluída em 1933. Em 12 de março de 1996, o edifício foi tombado pelo IEPHA, passando a constar entre os bens culturais do Estado de Minas Gerais.

Fotos: Facebook Adilson Ramos

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »