08/08/2016 às 16h34min - Atualizada em 08/08/2016 às 16h34min

Exposição “Por mares nunca dantes navegados – o século das Grandes Navegações”

Promoção é da Casa de Leitura Lya Botelho com o patrocínio da Energisa e fica aberta ao público de forma gratuita até 20 de dezembro.

Começou, nesta segunda-feira, 8 de agosto, às 13:00 horas, a mais nova exposição produzida pela Casa de Leitura Lya Botelho e patrocinada pela ENERGISA. Trata-se, desta vez, de uma incursão num período de transição da História Medieval, focando em personagens e eventos que mudaram definitivamente a maneira com que a humanidade via o Mundo e a sua presença nele. A exposição ficará aberta ao público com entrada gratuita, até o dia 20 de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 11:30h e das 13:00 às 17:00h e aos sábados, das 8:00 às 11:30h (exceto feriados). A Casa de Leitura Lya Botelho está localizada na rua José Peres, nº 5 (Centro) – Leopoldina-MG.

   


“Por mares nunca dantes navegados – o século das Grandes Navegações” trata da epopéia de homens valentes, destemidos, curiosos e ambiciosos que praticamente no período de 100 anos, expandiram, através de rotas marinhas e conseqüentes descobrimentos, os limites de uma Europa que ansiava sair da Idade das Trevas em que vivia. Reis, rainhas, banqueiros, nobres, cartógrafos, escrivães e marinheiros, além de sábios, filósofos e cientistas de então, lançaram-se ao mar, desbravando imensos, desconhecidos e temidos oceanos, em busca de riquezas, de fama, de fortuna, de poder, de um recomeço, movidos não apenas pela ambição, mas também pelo incontrolável desejo de aventura que faz parte do espírito humano.

A Casa de Leitura Lya Botelho traz, então, um “resumo visual” de toda essa saga em 3 dos seus ambientes de exposição: Os Porões das Caravelas, o Memorial dos Navegadores e a Rota da Seda. Em cada espaço procuramos produzir um conteúdo visual com suficiente apelo que possa estimular o interesse do visitante, jovem ou adulto, em pesquisar mais sobre o assunto. Em nenhum momento afirmaríamos que uma exposição, seja ela qual for, possa substituir uma aula ministrada por um Professor motivado e motivador. Gostaríamos de sugerir que o público visitante apreciasse esta, e todas as exposições, como um trabalho lúdico indutor à pesquisa e à reflexão.

Ao refletir sobre as trocas comerciais e intercâmbios culturais que caracterizam e justificam o sistema econômico vigente, e de como a necessidade e o desejo muitas vezes se confundem, acabando por originar a busca e o desenvolvimento de artefatos de todos as espécies, formas e funções, o público poderá melhor compreender as razões que, desde sempre, fizeram que homens e mulheres migrassem em busca de melhores condições de vida, de riquezas e benefícios de toda a sorte, arriscando-se, inclusive, por mares nunca dantes navegados.

Escolas e demais instituições: favor agendar antecipadamente através do e-mail  [email protected]

Fonte: Alexandre Carlos Moreira-Casa de Leitura Lya Maria Muller Botelho

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »