08/08/2016 às 20h05min - Atualizada em 08/08/2016 às 20h05min

Cinco projetos de empresas são selecionados pelo Cefet de Leopoldina

Empresa residente da ‘Nascente Incubadora’ do Cefet chama atenção de empreendedores americanos e chineses.

Texto e fotos de João Gabriel Baia Meneghite
Implantado há cinco anos em Leopoldina, a Nascente Incubadora de Empresas do Cefet vem se consolidando a cada dia. Em 2011, três projetos foram assistidos pela instituição e, recentemente, duas empresas residentes receberam certificado de graduação, após um período de dois anos incubadas.

A incubadora consiste em um instrumento de apoio e estímulo às ideias com potenciais de virarem bons negócios. Os projetos são apresentados e passam por um processo seletivo, sendo assinados contratos que consolidam o acolhimento do Cefet aos empreendimentos.

O sistema funciona numa espécie de condomínio empresarial, com orientações técnicas sobre o aperfeiçoamento tecnológico e preparação para o mercado, desenvolvendo estratégias sólidas, dando condições das iniciativas progredirem.

Nesta segunda-feira 08 de agosto, cinco projetos de empresas foram selecionados pelo Cefet Leopoldina, sendo realizada uma cerimônia de assinatura dos contratos com empreendedores que tiveram suas propostas aprovadas para o processo de incubação e pré-incubação.

Segundo Rodrigo Lacerda Sales, coordenador da Nascente Incubadora de Empresas, os contratos serão encaminhados para assinatura do diretor geral do Cefet em Minas Gerais, professor Flávio Antônio dos Santos e posteriormente encaminhados para publicação no Diário Oficial da União.
coordenador da Nascente Incubadora de Empresas Rodrigo Lacerda Sales
A empresa Solutech já foi residente da Nascente Incubadora de Empresas e neste ano entrou com um novo projeto, sendo desenvolvido um software de Gestão Gourmet - que já está sendo utilizado em fase experimental, atraindo a atenção de empreendedores chineses e americanos, conforme explicou o diretor administrativo, Christien L. Rachid.
Christien L. Rachid, diretor administrativo da Solutech
Outros quatro pré-projetos desenvolvidos por alunos poderão ser incubados, entre eles o ‘AxaTreko’, dispositivo de localização de objetos que possui uma tecnologia de programação para dispositivos móveis na localização georreferenciado, criados por Alan Matos da Silva, Carlos Eduardo Pessoa Seixas, Alexander C. dos Santos, Igor Abrita e Gabriel Lopes.
 
Alan Matos e Carlos Eduardo Seixas durante apresentação do projeto ‘AxaTreko’.

O Projeto ‘Leiturista Remoto’ monitora em tempo real o consumo elétrico e operação remota da chave de energia da residência, enviando informações para uma “nuvem”, onde a companhia e o consumidor poderão acessá-la de diversos dispositivos. A proposta é de autoria de Natanael Carvalho, Aleff Rosa e Josué Lima da Silva.
Natanael Carvalho falou sobre o monitoramento do 'Leiturista Remoto'.
Já o ‘Hidrômetro Inteligente’, trata-se de uma peça na qual obtêm-se informações do consumo de água, avisando ao usuário dados da medição, bem como a possibilidade de identificar vazamentos. A iniciativa é de Gabriel Lopes dos Anjos, Marcos Antônio dos Anjos e Rafael Lopes dos Anjos.
 
Rafael e Gabriel apresentando o 'Hidrômetro Inteligente'.
A proposta do ‘Visual Glasses’ tem como principal motivação auxiliar a locomoção de deficientes visuais, com o desenvolvimento de uma nova tecnologia, utilizando óculos com dispositivo de rádio freqüência, programado para avisar aos usuários sobre obstáculos, entre outros objetos.
Os orientadores Gabriella e Samuel,  com os alunos Ronald e João Pedro.
O diretor do Cefet Leopoldina, Douglas Martins, elogiou os temas escolhidos pelos empreendedores e comunicou que está intermediando um novo espaço em Leopoldina para abrigar os empreendimentos da Nascente Incubadora de Empresas. Ele informou que algumas conversas estão adiantadas e existe a possibilidade de um imóvel ser cedido a unidade do Cefet Leopoldina.
O diretor do Cefet Leopoldina Douglas Martins

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »