09/08/2016 às 07h04min - Atualizada em 09/08/2016 às 07h04min

Irmãs são vítimas de novo estupro coletivo em Juiz de Fora

Cidade já foi palco de outros dois episódios de estupro coletivo em menos de três meses

Bruno Inácio - O Tempo Online
Crime é investigado pela delegada Ângela Fellet
Mais um caso de estupro coletivo contra menores pode ter ocorrido em Juiz de Fora.Duas irmãs, de 11 e 17 anos, foram ouvidas pela Polícia Civil da cidade, nesta segunda-feira (8), e relataram que um outro adolescente, que estuda na mesma escola que elas, teria orquestrado, com outros quatro colegas, um plano para abusar delas. Os abusos foram gravados e os pais das vítimas tiveram acesso às imagens, que foram encaminhadas à Justiça. É o terceiro caso do tipo registrado na cidade em menos de três meses.

O delito teria ocorrido na última sexta-feira (5) e denunciado neste domingo (7) pela mãe das adolescentes, assim que ela soube que as filhas haviam sido abusadas. Conforme a denúncia, as meninas estavam na Escola Estadual Professor Lindolfo Gomes, no bairro São Benedito, na última sexta-feira, quando o celular da mais velha foi furtado. Ao final da aula, um outro aluno, de 16 anos, procurou a adolescente na saída da aula, e mostrou o celular furtado. Segundo a PM, as meninas disseram que o suspeito disse que só devolveria o celular caso as meninas fossem buscar na represa de Poço D'Antas, no mesmo bairro, durante a tarde.

A delegada Ângela Fellet, da Polícia Civil, informou que, quando as meninas chegaram ao local, por volta das 14h, o adolescente estava acompanhado de outros quatro menores, dois de 11 e dois de 16 anos, que abusaram delas. "Mediante ameaça com canivetes e agressões com chutes e socos, eles mantiveram relação sexual com ambas e não devolveram o celular", explicou a delegada.

Os cinco menores suspeitos do crime já foram identificados. Eles moram no bairro São Benedito e Polícia Militar suspeita que eles tenham envolvimento com o tráfico de drogas. Apesar de eles estarem encapuzados na hora do crime, as menores conseguiram os identificar, informou a assessoria de imprensa da Polícia Civil. "Elas não denunciaram antes porque foram ameaçadas de morte pelos menores", disse a delegada.

A previsão é que os menores sejam ouvidos nesta terça-feira (9). A delegada solicitou à Vara da Infância e da Juventude que abrisse um procedimento para apuração de ato infracional pelos menores, que responderão por ato análogo ao estupro de vulnerável.

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) informou, por meio de nota, que uma equipe de inspeção foi enviada à escola para apurar o caso. A direção da escola está, segundo a SEE, prestando apoio à família das vítimas. Um projeto de prevenção à situações de violência será planejado pela equipe pedagógica da escola para ser trabalhado com os alunos, de acordo com a Secretaria.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »