21/09/2016 às 08h25min - Atualizada em 21/09/2016 às 08h25min

Aplicativo que pretende ajudar dependentes químicos pode ser desenvolvido no Brasil

Projeto BeOK tem como objetivo desenvolver um estudo e um aplicativo que mostrará como a tecnologia pode auxiliar no tratamento de dependentes de drogas

Aplicativo que pretende ajudar dependentes químicos pode ser desenvolvido no Brasil
Um aplicativo capaz de auxiliar na recuperação de pessoas com problemas com drogas pode ser desenvolvido no Brasil. É isso que a campanhaBeOK, um app para tratar dependentes químicos, disponível pela Kickante, pretende alcançar. A ideia do projeto está no desenvolvimento de um estudo que pretende provar como um único aplicativo pode auxiliar no tratamento de dependentes químicos.

Desenvolvida pelas psicólogas Flávia Serebrenic Jungerman e Natália Gomes Ragghianti, a campanha pretende arrecadar R$ 250 mil para investir na produção do aplicativo e no desenvolvimento da pesquisa e, que nesse primeiro momento, será utilizado pelos voluntários do projeto. A ideia do projeto é oferecer jogos, informações e outras ferramentas interativas que auxilie  os usuários a lidar com situações que envolvam as drogas, para que o dependente em tratamento consiga passar pelas fases mais difíceis do processo de desintoxicação e possa ir se inserindo em seu meio familiar e social.

“Iremos comparar o uso do app com a terapia presencial em grupo. Nossas hipóteses são que a intervenção via aplicativo, em relação ao tratamento presencial em grupo, será mais efetiva em reduzir ou interromper o uso de drogas ou os problemas associados a ele, além de gerar maior aderência e permanência no tratamento”, explica Flávia Serebrenic Jungerman.

Por se tratar de um projeto de pesquisa, o aplicativo ficará disponível apenas para o desenvolvimento do estudo. Caso a efetividade do aplicativo se comprove, o próximo passo é lançá-lo no mercado, e incentivar a sua utilização pelos brasileiros que têm algum tipo de problema associado ao uso de álcool e outras drogas.

Ainda segundo Flávia, assim como o uso e prejuízos associados às drogas são reconhecidas no Brasil e no mundo, a dificuldade no tratamento oferecido também é. “Existem três principais entraves no que diz respeito ao tratamento: Escassez de serviços, dificuldade para a chegada ao serviço e adesão e permanência no tratamento. Nosso objetivo com o estudo e com o app é minimizar o impacto negativo gerado pela falta e dificuldade de acesso ao tratamento”, afirma.

A importância do estudo e das eventuais descobertas é significativa, já que os números de usuários de drogas no Brasil são alarmantes. Segundo o II LENAD (II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas), 37% (1,3 milhões de pessoas) dos que consumiram no último ano são dependentes de maconha, enquanto 48% (1 milhão de pessoas) dos que consumiram no último ano são dependentes de cocaína.  Caso a campanha alcance a meta, os valores arrecadados serão utilizados para a contratação de empresa especializada no desenvolvimento do aplicativo, contratação da equipe que coletará dados e testes, assim como psicoterapeutas para conduzir os grupos, plano de internet para que os voluntários utilizem o app e itens para subsidiar o estudo.

“A essência da Kickante está na oportunidade que oferecemos para que projetos como o BeOK sejam financiados e se tornem realidade. Com as mais de 25 mil campanhas lançadas e R$ 28 milhões arrecadados, acreditamos que o financiamento das multidões irá transformar o projeto em realidade”, finaliza a presidente e fundadora da Kickante, Candice Pascoal.

Para kickar, acesse:
http://www.kickante.com.br/campanhas/um-aplicativo-de-celular-para-tratar-dependentes-quimicos-pode-ser-melhor-que-tratamento

Sobre a Kickante

Fundada em outubro de 2013, a Kickante é a maior plataforma de financiamento coletivo do país. Desde sua criação,   já lançou mais de 25 mil campanhas e captou mais de R$ 28 milhões. Hoje, a Kickante detém o recorde de maior arrecadação da América Latina -   R$1.006.990,95 captados para a campanha Santuário Animal.   Para 2016, a meta da plataforma é lançar mais 30 mil campanhas lançadas e arrecadar R$50 milhões. A Kickante é a primeira no Brasil a trabalhar com campanhas flexíveis, permitindo assim que projetos que não possuem um valor mínimo e podem ser beneficiados a partir de qualquer valor arrecadado, e tudo ou nada.

Fonte:Gefferson Eusébio, Julyana Castro e Gisele Simões da Kickante NR-7 Comunicação

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »